2016/11/29

Análise à impressora 3D Blocks One

As impressoras 3D têm ganho popularidade nos últimos anos, e hoje o nosso Luis Costa vem falar-nos de mais um modelo nascido em Portugal, a Blocks One.


A impressão 3D está na ordem do dia. Em cada canto há uma referência a este tema e se forem a um evento de tecnologia, uma grande percentagem dos participantes vai estar de alguma forma ligado à impressão 3D. Confesso que sempre me esforcei por seguir o tema de longe, pois tinha noção que seria mais uma perdição e, já tendo muitas, esta teria que esperar pela sua oportunidade. Nem o facto de as miúdas terem andado a moer-me o juízo na MakerFaire LX de 2015 foi suficiente para me demover. Deve ter sido a primeira vez que recusei a compra de um gadget que eu próprio desejava!

Mas era algo que parecia inevitável. A chegada de promoções que nos trazem impressoras 3D a preço reduzido foi a gota de água que me fez embarcar nessa aventura. Comprada a impressora e respectivo filamento, foi tempo de aguardar a sua chegada. Por esta altura, decorreu a segunda MakerFaire LX, onde mais uma vez a impressão 3D esteve em grande. Em representação do AadM, tive a oportunidade de visitar a grande maioria dos expositores, sendo que um deles me despertou à atenção devido a uma promoção que estava a ter lugar.


A Create é uma empresa portuguesa que nasceu em 2015. Dedica-se ao comércio de filamentos para impressão 3D. Entre PLA, ABD, Flex, Glow, Madeira, é só escolher. Tem como objectivo nos próximos meses apresentar outros tipos de filamento como carbono, PETG, POM, ASA, entre outros que ainda estão em fase de testes.

No stand ao lado da Create, estava a Blocks, outra empresa nacional ligada ao sector, neste caso às impressoras 3D. Apesar de nada saber soube o assunto, achei que seria interessante poder testar uma impressora "pronta a imprimir" ao mesmo tempo que a de "Kit" que tinha acabado de comprar, daí ter aceite o convite para testar a Blocks One. Mal sabia eu a aventura onde me estava a meter, mas esse assunto fica para um próximo artigo.

A Blocks One



A Block One é uma impressora pronta a utilizar, preparada para imprimir vários tipos de filamento. Tem uma área de impressão de 200x200x200mm, cama aquecida, resolução de 40µm e utiliza um sistema cartesiano de movimento baseado na arquitectura XY. Podem consultar as especificações (pdf).


Comparativamente aos sistemas utilizados nas impressoras mais populares (Prusa i3), para a mesma força e motores, este sistema tem uma menor inércia, permitindo uma aceleração mais rápida e um movimento mais linear ao longo dos eixos.



O extrusor conta com um conjunto de leds que se revela bastante útil para acompanhar a impressão.


Na parte frontal encontramos o painel LCD e o comando rotativo com selecção por pressão do mesmo. O LCD apresenta a temperatura do extrusor e da cama, posição do eixo Z, percentagem do processo de impressão e tempo de execução. A última linha é destinada a mensagens informativas.


Na lateral esquerda, o slot para o cartão SD e porta USB para ligar ao PC, que curiosamente, não tive necessidade de utilizar. O cartão SD serviu de meio de transporte de dados entre a impressora e o PC.


É também nesta zona que encontramos a tomada para a alimentação e dois encaixes para o apoio que suporta os rolos do filamento. Uma nota positiva para este sistema, bastante simples, prático e muito bem idealizado.


Mais acima, o bloco que regula a alimentação do filamento. Para o inserir, basta accionar o elemento que comprime a mola. A inserção do filamento é feita através do orifício que este módulo tem na sua base.


Na zona inferior, a fonte de alimentação e a placa controladora, que conta com uma ventoinha para a sua refrigeração. O interruptor para ligar/desligar a impressora fica na lateral direita.


A mesa conta com um bloco de vidro para receber a impressão. Recomenda-se a utilização de laca para melhorar a fixação do filamento ao vidro. Aqui, uma nota negativa para o sistema que fixa o vidro à mesa; num produto deste nível de preço seria de esperar uma solução mais profissional. É certo que cumpre a sua função, mas não fica bonito nem é o mais prático.


Pelo lado positivo, o sistema de regulação do nível da mesa. As porcas permitem ajustar a mesa de uma forma muito prática.


Em utilização



Após tudo isto, chega a pergunta crítica: e agora?

Dado que não percebia nada do assunto, foi altura de recorrer à preciosa ajuda do incansável motor de busca da Google e, não menos importante, "chatear" um grande especialista nesta e outras áreas, o Mário Saleiro, a quem tenho de agradecer todo o apoio prestado.

Antes de se começar a imprimir, há que efectuar alguns procedimentos: nivelar a mesa e colocar o filamento pronto para impressão. Para os menos experientes, como era o meu caso, a Blocks disponibiliza um conjunto de vídeos que explicam todos estes passos iniciais.







Depois (ou antes, como preferirem) de preparem a impressora, há que definir o que queremos imprimir. Para isso a Blocks faz algumas sugestões - informação apenas em inglês...



É necessária uma aplicação para preparar o ficheiro que servirá de base à impressão. O Cura é a opção recomendada. Podem fazer o download no site da Blocks ou da aplicação.

Na sua configuração, têm que começar por adicionar uma máquina, seguindo as indicações apresentadas no ponto 2 da imagem em cima. De seguida, devem carregar o perfil de impressão adequado ao material que vão utilizar. Posto isto, basta carregar um modelo 3D de algo a imprimir (existem "milhões" que podem utilizar no Thingiverse, se não se quiserem aventurar a criar os próprios modelos de raiz) e exportá-lo (save GCode) para o cartão SD que vão utilizar na Blocks One.


Com o filamento carregado e o SD no respectivo slot, basta escolher o ficheiro que anteriormente passámos para o cartão e começar a imprimir. Nota: não esquecer de aplicar a laca no vidro antes de começar, pois melhora a aderência e no final facilita o processo de remover a peça da base.



Uma nota ainda para o filamento que sai mesmo antes da impressão começar. Devem ter uma ferramenta à mão (um lápis serve) para remover este desperdício, evitando que o mesmo chegue ao vidro.


O processo de impressão é demorado, podendo demorar várias horas, pelo que devem estar preparados para longos períodos de espera. Depois da fase inicial em que se passa (demasiado) tempo a olhar para a impressora a funcionar, a melhor opção é deixá-la a imprimir durante a noite. Para referência, uma impressão de 10 horas e meia consumiu 0,8kW.


O resultado obtido com as definições recomendadas é muito bom, graças ao controlo de qualidade que a Blocks aplica nos seus produtos. Não é necessário andar a experimentar configurações e níveis de aperto, é mesmo só imprimir.



Como referi inicialmente, tinha feito o investimento na impressora 3D "low-cost", pelo que tive a oportunidade de comparar directamente os resultados de uma e outra. Nos slides em cima, podem ver a comparação da primeira impressão nas duas impressoras, com as definições recomendadas. A diferença, como as imagens demonstram, é abismal.


Apreciação final



A impressão 3D ainda está a dar os primeiros passos no sentido da democratização da tecnologia, mas a evolução tem sido rápida e já permite efectuar impressão com diferentes tipo de materiais a um custo que se pode considerar aceitável.

A Blocks One é uma proposta muito interessante para todos os que procuram uma impressora pronta a funcionar, capaz de produzir impressão 3D com elevado nível de qualidade. A documentação de referência é bastante completa, pecando apenas pelo facto de estar em inglês; o que no entanto não deverá ser problemático para o público alvo a que se destina..

Para se começar a imprimir não são necessários grandes conhecimentos, pois a impressora já vem configurada de fábrica. As peças saem com um acabamento muito bom, ao nível do que melhor se pode obter com um equipamento deste género. Como pontos menos positivos, apenas pequenos detalhes: as molas para fixar o vidro à mesa e o excessivo ruído durante a impressão. Para o preço que apresenta, poderia incluir um cartão SD e leitor para ligar ao PC, que teria um custo simbólico.

A Blocks One está disponível no mercado nacional com um PVP de 750€, valor que se pode considerar elevado face às alternativas low-cost mas que está num nível altamente competitivo para a qualidade das impressões 3D efectuadas. Impressoras capazes de obter resultados idênticos custarão significativamente mais - o que não invalida que, para apelar ao consumidor comum, será necessário que estes valores desçam para níveis mais acessíveis.


Blocks One
Quente



Prós
  • Qualidade da impressão
  • Pronta a utilizar

Contras
  • Ruído ao imprimir
  • Molas para fixar vidro à mesa

2 comentários:

  1. Suponho que a impressora da Blocks tenha sido a que deu melhor resultado na impressão do dragão, em comparação com uma low-cost, correcto? Não está muito claro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a que tem melhor acabamento foi impressa na Blocks One. Chamo à atenção para o detalhe nas patas do dragão.

      Eliminar

[pub]