2016/11/09

Google encerra o Map Maker em Março de 2017


Poderá haver um motivo para aqueles fenómenos que se têm feito sentir no Google Maps, como termos Gaia como Lagos, ou o rio "Tajo" em Lisboa: a Google vai encerrar o Map Maker que permitia aos fãs contribuírem para melhorar os mapas.

Não deixará de ser um pouco estranho que o Google Maps queira arreliar uma comunidade de utilizadores dedicados que perde muitas horas a trabalhar gratuitamente para garantir que os mapas sejam os melhores possíveis e estejam actualizados; mas na verdade a Google não quer deixar de aproveitar esse trabalho. A diferença é que vai direccionar as contribuições para o programa Local Guides, que tem uma vertente mais popular e menos técnica das contribuições.

A medida poderá estar relacionada, em parte, com o problema das alterações embaraçosas - como o caso do Android a urinar na Apple; mas a Google diz que com esta alteração poderá implementar um sistema que dê resposta mais rápida às alterações dos mapas (sabe-se lá como).

[o famoso rio... Tajo? - erro que ainda persiste]


Não sei será por isso que temos assistido aos fenómenos de letras e nomes de cidades trocadas, que na minha mente imaginativa sugere que poderia ser uma táctica utilizada pelos moderadores do Map Maker de mostrar o seu desagrado com o fim deste programa - mas se fosse esse o caso, então estariam apenas a dar razão à Google de que é melhor acabar com o programa para evitar este tipo de alterações que pode afectar milhões de pessoas durante meses.

Seja como for, ao longo dos próximos meses, será melhor mentalizarem-se de que poderão acontecer algumas coisas esquisitas no Google Maps, e que as mesmas poderão estar relacionadas com o encerramento do Map Maker.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Esta em espanhol o nome do rio! https://es.wikipedia.org/wiki/Tajo

    ResponderEliminar
  3. Mas tanto quanto sei nunca chegou a estar activo em Portugal, pelo menos ainda há uns 3 meses voltei a tentar utilizar e continuava bloqueado para o nosso país.

    ResponderEliminar

[pub]