2016/11/12

Nvidia FastSync deixa a placa gráfica trabalhar ao máximo para jogos com mais de 60fps

O processo de enviar as imagens da placa gráfica para o monitor é bastante mais complexo do que pode parecer à primeira vista, e isso é algo com que os jogadores estarão familiarizados. Depois dos V-Sync, FreeSync e G-Sync, a Nvidia traz-nos o FastSync, com o qual quer resolver o problema da sincronização para framerates ultra-elevados.

Estes problemas ocorrem devido à natureza dinâmica do processo de gerar imagens pelo GPU (ou pelo próprio CPU) e onde não se pode garantir que as mesmas são calculadas precisamente à frequência de trabalho do monitor.

Por exemplo, se o monitor estiver a trabalhar a 60Hz (o standard) e o computador apenas conseguir produzir 40 imagens por segundo, iremos notar uma quebra na fluidez da imagem; mas se por acaso o computador produzir 70 imagens por segundo, também teremos potenciais interferências, dependo do tipo de buffering e sincronização escolhida.

O FastSync da Nvidia, que chegou na geração de GPUs Maxwell, é uma tentativa de solucionar o problema, prometendo uma baixa latência e a apresentação de imagens sempre estáveis, funcionando como um complemento do G-Sync (em que o G-Sync resolve o problema do sincronismo para framerates inferiores à frequência do monitor, e o FastSync resolverá o problema para framerates superiores.)



P.S. Quem gostar de explicações mais técnicas pode espreitar a sessão da Nvidia sobre o FastSync.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]