2016/11/08

Web of Trust add-on para browsers vendia informações dos utilizadores


O add-on Web of Trust promete uma navegação de confiança na internet, mas na verdade estava era a abusar da confiança dos utilizadores, vendendo os seus dados privados.

Não é por acaso que os browsers apresentam mensagens de alerta quanto à capacidades dos add-ons instalados poderem recolher informações e até alterar o conteúdo das páginas da web. Claro que em muitos casos isso é indispensável para cumprir o propósito desejado, mas no caso do Web of Trust, certamente ninguém esperaria que o seu histórico de navegação na internet fosse vendido a terceiros.

O add-on Web of Trust promete dar aos utilizadores informação sobre o nível de confiança de um site, de modo a que possam ter cuidados redobrados no caso de sites "pouco confiáveis". Mas parece que quem deveria estar assinalado como pouco confiável seria o seu próprio site, já que uma investigação revelou que os responsáveis deste add-on estão a vender dados dos seus utilizadores.

A empresa alega que os dados são anonimizados e não apresentam risco, mas os jornalistas conseguiram demonstrar que era possível associar esses dados a utilizadores específicos, e descobrir informação "sensível", como investigações de polícia, dados financeiros de empresas, e até as preferências sexuais de um juiz com base nas páginas pornográficas que visitava e pesquisas que fazia.

A Web of Trust já entrou em modo de limitação de danos, dizendo que esta investigação veio revelar falhas no sistema de "anonimização" dos dados que são vendidos, e que retirou o add-on das respectivas lojas dos browsers até o assunto ser corrigido. No entanto, o add-on continua instalado em milhões de utilizadores, e os seus dados continuarão a ser recolhidos e vendidos até que seja desinstalado manualmente.

O add-on Web of Trust está disponível para o Chrome, Firefox, Internet Explorer, Safari e Opera, e se o têm instalado (ou conhecem alguém que o utilize) é melhor perderem toda a confiança nele.

1 comentário:

  1. Das "lojas de extensões do Chrome e do Safari também já se foi.
    Há que séculos que numa pesquisa no Google me habituai a ver à frente de cada resultado o anel (verde/ amarelo/ vermelho/ indefinido (sem informação) do WOT. Não é para seguir à risca, mas dá indicações úteis.

    Isto do "à borla", nunca é "à borla", de algum lado tem que vir o dinheiro, porque ninguém vive do ar. Já foi.

    ResponderEliminar

[pub]