2016/11/08

Web Summit estreia-se em Lisboa com problemas no WiFi


O Web Summit é um evento que não é alheio aos problemas de WiFi, e também em Lisboa a sessão de abertura sofreu um "soluço" que deixou Paddy Cosgrave sem acesso, e que já está a causar um atirar de responsabilidades entre operadores.

A infraestrutura para o Web Summit está a cargo da PT, patrocinadora do evento, que teve que preparar um sistema capaz de suportar as pesadas exigências de um evento desta magnitude (se nos tempos do SAPO Codebits estaríamos a falar de 500 pessoas, aqui estamos a falar de 50 mil, prevendo-se um total de 150 mil dispositivos a precisarem de aceder à internet em simultâneo). São os "ossos do ofício"... e que se complicaram quando Paddy  Cosgrave pediu aos presentes que fizessem o streaming do evento, e preparando-se para o demonstrar usando o Facebook Live... só que, na melhor tradição dos eventos em directo... não funcionou.

Não será um caso grave, sendo que já muitos outros passaram por situações idênticas (lembram-se do Steve Jobs durante a apresentação do iPhone 4), e o próprio Web Summit já tem sofrido com problemas de WiFi em edições anteriores - mas depressa começarem a surgir referências de que o problema afinal seria da Vodafone, pois era o operador que surgia no ecrã do smartphone de Paddy Cosgrave.


Alegações que já mereceram resposta oficial por parte da Vodafone, que refere que embora a rede móvel usada por Paddy Cosgrave fosse efectivamente a sua, no momento do problema a ligação à internet estava a ser feita por WiFi. E o próprio Paddy desdramatizou a situação logo no momento, dizendo que seria uma questão de tentar mais tarde, e nessa segunda tentativa já tudo correu sem incidentes; e um comunicado do Web Summit já veio dizer que o problema não tinha a ver com a rede disponibilizada pela PT, mas sim com o facto do smartphone estar ligado à rede WiFi errada.

Acaba por ser um pequeno incidente que até serve para que se fale ainda mais do Web Summit... e para terminar deixo apenas umas pequenas contas de cabeça: nesta sessão de abertura estavam 15 mil pessoas. Se todas elas acedessem ao pedido e começasse a fazer o streaming do evento no Facebook Live (que gasta cerca de 4MB por minuto), a PT teria que suportar um upload de 8Gbps - só para este evento... sem contar com todas as ligações que têm que funcionar normalmente no resto do país.


A PT também reforçou a rede móvel do MEO nas zonas onde irão decorrer acções associadas ao Web Summit (Cais do Sodré, Bairro Alto, etc.) e vai ser interessante analisar quantos terabytes de dados o Web Summit irá gerar ao longo destes dias - se a PT disponibilizar esses dados no final do evento.

2 comentários:

  1. Só mesmo um tolo ou um mau-caráter acusaria uma provedora de acesso móvel por falta de internet em um telefone ligado a uma rede Wi-Fi.

    ResponderEliminar
  2. Era interessante saber quais foram os equipamentos que a PT utilizou para disponibilizar o serviço... Devem ser qualquer coisa!

    ResponderEliminar

[pub]