2016/12/15

Califórnia aprova eficiência energética para computadores, portáteis e monitores


Todos os pequenos desperdícios energéticos se tornam grandes quando multiplicados por milhões, e é precisamente para lutar contra isso que a Califórnia passa a exigir níveis de eficiência mínimos para computadores, portáteis e monitores, e limitando os consumos dos mesmos em standby.

A maioria das pessoas deixa os seus computadores, portáteis e monitores em standby quando não os utilizam, mas poucos serão aqueles que têm consciência dos consumos que continuam a ter nesse estado. Precisamente por isso, esta nova legislação limita os consumos máximos e ajudará a evitar abusos nos consumos dos computadores "desligados".

Como se imaginaria, a maior parte dos portáteis (73%) que estão a ser vendidos neste momento já cumpre estes requisitos; mas no caso dos computadores desktop o panorama é bastante diferente. Apenas 6% dos desktops cumprem os novos requisitos, e será neste sector que os fabricantes mais terão que investir para poupar energia - sendo necessário reduzir os consumos em cerca de 30% até 2019 e em 50% até 2021. Estima-se que as alterações necessárias possam aumentar ligeiramente o custo de um computador (cerca de $15), mas esse valor será recuperado pela poupança energética ao longo da sua vida de uso. E para quem estiver preocupado com o seu PC ultra-potente (e gastador de energia) com um placa gráfica de topo - ou duas, ou três - há que referir que há excepções para esses casos.

Quanto aos monitores, as coisas também precisam de bastantes mudanças. Apenas 14% dos monitores a serem vendidos no mercado cumprem os novos requisitos (que entrarão em vigor em 2019). Mas também aqui a comissão refere que as alterações necessárias poderão ser feitas com um aumento de apenas $5 no preço dos monitores, sendo que com essas mudanças se poderá poupar $30 ao longo de 7 anos de utilização.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]