2017/01/06

LG Signature OLED W é uma TV de parede com apenas 2.57mm de espessura


Demonstrando que a mania de fazer os produtos cada vez mais finos não se limita aos smartphones, a LG anuncia finalmente o lançamento dos impressionantes "wallpaper" OLEDs de espessura ultra-reduzida.

A LG aproveitou o CES para revelar os seus televisores Signature OLED W. Estes televisores 4K de 65" e 75" têm apenas 2.65mm de espessura, o que permite criar o efeito de que é a própria parede que dá a imagem.


Claro que esta espessura ultra-reduzida não funciona por magia, e ao emagrecer o ecrã para esta dimensões o que acontece é que toda a parte electrónica e das fichas é transferida para um módulo adicional que fica integrado numa volumosa sound bar - que de certa forma acaba por retirar algum do encanto da solução.

[é difícil ver, mas está ali um televisor na parede]

A sound bar suporta Dolby Atmos em formato 4.2, sendo que os canais de som elevados são projectados por duas colunas circulares que se "levantam" do conjunto principal e voltam a esconder-se quando não são necessários. É um pormenor curioso que contribuirá para dar ainda mais que falar, para aqueles poucos que puderem comprar um destes televisores - o anterior Signature OLED de 77", que não era tão fino, já custava 20 mil dólares... pelo que se pode imaginar que este não será mais barato.


Outra novidade indirecta que a LG nos apresenta em 2017, é que fica confirmada a morte do 3D (finalmente). Depois de toda a insistência nos modelos 3D, nenhum dos novos OLEDs para 2017 suportará vídeo 3D... e esperemos que coloque um ponto final no assunto. :)

6 comentários:

  1. Fico a aguardar por um BendTest ;)

    ResponderEliminar
  2. Apresentou também agora a xiaomi a sua nova tv que funciona exactamente da mesma maneira, trás um modulo a parte que integra tudo o processamento da tv e que é também uma sound bar, a vantagem é que a xiaomi anunciou que será possível actualizar a "placa mãe" melhorando assim a vossa tv no futura em vez de comprar uma nova.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim... e embora tenha quase 5mm de espessura (oh, que problema! ;) vai custar menos de $2000 (na China). Pena é que não cheguem cá a esse preço.

      Eliminar
  3. Tu que tiveste uma E6V em casa não experimentaste o 3D dela? é que não tem nada a ver com o cinema, fiquei extremamente impressionado com o 3D nas OLEDS e é com tristeza que o vejo com a morte anunciada... espero que continuem a sair títulos 3D. É estranha esta opinião de alguém que até teve uma em casa, se calhar usaste pouco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimentei, mas nunca escondi (desde há anos) que nunca fui fã desta tecnologia pseudo 3D, que implicitamente está condenada logo à partida. O problema é que temos que manter os olhos focados no ecrã (ou tela, no caso do cinema) sempre à mesma distância, enquanto a informação visual tenta enganar o cérebro de que estamos a ver coisas a diferentes distâncias... sendo esse um dos factores que contribui para náusea e dores de cabeça em pessoas mais sensíveis a estas discrepâncias.

      Até que surjam displays "lightfield" ou com tecnologias mais avançadas que permitam simular realmente a distância de focagem... não vale a pena insistir nisto (para não falar no aspecto de se necessitar de usar os óculos 3D, e que ao se utilizar o 3D se está a perder metade da resolução efectiva do ecrã).

      Eliminar
    2. Pronto aceito as criticas, também gostava mais que fosse sem óculos mas a experiência de um 3D em OLED para mim é qq coisa de fantástico... Não se perde metade da resolução. Perde-se metade da resolução vertical. De qq forma acho que não se perdia nada em ter a feature.. é pior não ter. (apenas conseguem mais brilho e penso que foi essa a razão, isso e não haver 4K 3D ainda...)

      Eliminar

[pub]