2017/02/06

Google abandona Google Now Launcher


A Google continua a dar machadadas no seu Android, e agora revela que o Google Now Launcher que serve de rosto aos Nexus (e outros smartphones que queiram manter o aspecto Android original) irá ser descontinuado e removido da Play Store.

A tentativa de imitar a Apple e limitar funcionalidades apenas aos seus novos Pixel começa a atingir novas proporções, e isso vai fazer-se notar ainda mais com o fim do Google Now Launcher que é utilizado nos Nexus.

O Google Now Launcher é aquilo que tem servido como "imagem" dos Android, e que deixava o sempre útil Google Now à distância de um deslizar no ecrã principal. Mas agora a Google, cujas atenções se centram cada vez mais em funcionalidades exclusivas para os seus Pixel, passa esse trabalho para os parceiros, dizendo que os mesmos poderão replicar essa funcionalidade nos seus próprios launchers usando os programas de exemplo que disponibiliza.

De certa forma quase pode ser visto como uma bofetada virtual, considerando que durante muito tempo o objectivo foi tentar que os parceiros usassem o launcher da Google sem adulterarem demasiado o Android. E tendo isso falhado, a Google faz-lhes a vontade dizendo: se é assim, desenrasquem-se!

O problema é que quem acaba por ficar prejudicado são os utilizadores, que até aqui tinham a possibilidade de recorrer ao Google Now Launcher mesmo que os seus smartphones vissem com outros launchers do fabricante. Para não falar nos utilizadores dos Nexus, que esperariam um melhor tratamento por parte da Google. Agora, resta apenas a esperança que a Google venha a abrir o sucessor do Google Now Launcher, o Pixel Launcher, a todos os dispositivos - ou até mesmo só ao Nexus - mas neste momento... ninguém se arriscará a assumir que isso venha a acontecer.

6 comentários:

  1. A partir do momento que a Google decide fazer concorrência aos outros fabricantes que usam Android, não é descabido reservar para si o que lhe dá benefício directo. O que não faz sentido é o princípio de concorrência. Com os Nexus a Google "marcava o ritmo" de evolução, estimulado os outros fabricantes. Com os Pixel, entra em campo com outro intuito...

    ResponderEliminar
  2. "A tentativa de imitar a Apple e limitar funcionalidades"

    Ai sim?

    Então que é que diferia o meu iPhone 6 para o meu iPhone 7, para além das funcionalidades de hardware?

    ResponderEliminar
  3. Fico muito triste ver a Google a seguir este caminho. Era excusado imitar os outros fabriantes..

    ResponderEliminar

[pub]