2017/02/13

Investigadores criam bateria líquida que pode durar décadas e é inofensiva


As baterias de lítio podem ter inúmeras vantagens, mas têm também inúmeras desvantagens para efeitos de armazenamento de grandes quantidades de energia por prazos prolongados; daí uma equipa de Harvard ter apostado numa bateria líquida, que não só pode armazena energia durante décadas, como também é completamente inofensiva.

Em vez de recorrerem a químicos perigosos ou potencialmente explosivos, estes investigadores recorreram a moléculas solúveis em água e que não são corrosivas. O resultado é uma bateria líquida que resiste a uma enorme quantidade de ciclos de carga/descarga (perda de 1% de capacidade a cada 1000 ciclos completos), e que em caso de qualquer fuga poderia ser tratada como qualquer fuga de água.

Uma vez que se trata de um material neutro como a água, todo o sistema pode recorrer a tanques e bombas convencionais, baixando drasticamente os custos e potenciais implicações de segurança; e para além disso, são produtos mais económicos dos que os que são normalmente utilizados noutros tipos de baterias líquidas. Em termos de manutenção, é também praticamente inexistente, pelo que os investigadores acreditam que tal sistema poderia funcionar de forma completamente autónoma e sem supervisão por mais de uma década.

Segundo os investigadores, esta bateria líquida começa a aproximar-se o objectivo de ter uma bateria capaz de armazenar 1kWh por menos de $100, um limiar que permitiria impulsionar ainda mais os sistemas de geração de energia solar e eólica, tornando-os tão competitivos quanto o dos sistemas de geração com combustíveis fósseis.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Está o link no artigo: http://www.seas.harvard.edu/news/2017/02/long-lasting-flow-battery-could-run-for-more-than-decade-with-minimum-upkeep

      Eliminar
  2. Assim já faz sentido comprar painéis solares

    ResponderEliminar
  3. corrijam-me se tiver enganado mas com baterias liquidas não daria para que existissem postos com liquido de bateria energeticamente carregado e se ficar-mos sem bateria bastava retirar o liquido das baterias descarregadas e colocarmos liquido carregado energeticamente e assim resolvia-se o problema da autonomia dos carros elétricos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, mas terá que se ter em conta a "densidade energética" do líquido. Se para ter 100kWh forem precisos 1000 litros de líquido (com peso de uma tonelada ou mais) não se torna numa solução eficiente para veículos.

      Dito isto, não faço ideia de qual seja a densidade energética desta bateria, mas se fosse assim tão boa, sem dúvida que seria uma solução de luxo. :)

      Eliminar

[pub]