2017/03/20

Intel estreia memórias 3D XPoint num SSD PCI


Foi há quase dois anos que ouvimos a Intel e a Micron falarem das memórias 3D XPoint que teriam capacidades revolucionárias face às memórias flash dos SSDs... e agora finalmente chega ao mercado o primeiro produto que lhes dá uso: o SSD PCI Intel Optane DC P4800X.

Tal como seria de imaginar este Intel Optane SSD DC P4800X é um produto orientado para as empresas e não para os consumidores, e basta olhar para o seu preço de $1520 para a versão de 375GB. O que justifica pagar este preço quando se tem discos SSD com memórias flash a preços muito mais competitivos?... Pois bem... todo um novo mundo de desempenho.

Um SSD com memórias flash pode ter velocidades vertiginosas quando comparado com um disco rotativo magnético, mas as suas operações ainda podem demorar centésimos de segundo, e o seu desempenho pode reduzir-se drasticamente em inúmeras circunstâncias com acessos simultâneos e elevado número de pedidos. Com este Optane com memórias 3D XPoint, a Intel garante uma latência inferior a 10 microsegundos, e mesmo em casos em que o SSD esteja a receber 2GB/s de escritas, garante uma latência inferior a 30 microsegundos.

Para além das velocidades superiores às das memórias flash, a Intel também não quer deixar margens para dúvidas quanto à durabilidade destas memórias 3D XPoint, anunciando que têm 30 DWPD (Drive Writes Per Day) - ou sejam, poderiam reescrever os seus 375GB trinta vezes por dia, diariamente, durante todo o período da sua garantia. Um valor notável, tendo em conta que nos SSDs flash o mais comum é encontrarmos drives com valores DWPD de 3-5, e mesmo os melhores se ficam pelos 15-17.
Outro aspecto interessante, é que graças a este desempenho, estes SSD 3D XPoint podem também funcionar como memória RAM, fazendo com que um computador trate estes 375GB (e 750GB e 1.5TB em versões futuras) como se fossem memória acessível imediatamente e não como um "disco". Neste caso já se têm que ter em conta outras considerações, pois o acesso à RAM pode acontecer a magnitudes superiores, onde nem sequer os 30 DWPD seriam suficiente; mas haverá certamente casos em que poder contar com 1.5TB de "RAM" a um preço que será menos de metade da DDR4 e tem a capacidade para manter o estado caso falte a energia, será muito bem vindo.


Agora é só esperar que a evolução faça a coisa do costume, e que permita que daqui por uns anos este tipo de tecnologia esteja muito mais acessível. Para 2018 iremos até começar a ver módulos DIMM que vêm com memórias 3D XPoint em vez de memórias DDR4.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]