2017/03/29

Operadores nos EUA vão poder vender dados dos clientes sem precisarem de autorização


Nos EUA, Donald Trump prepara-se para finalizar a lei que permitirá aos operadores de telecomunicações vender dados sobre o histórico de utilização dos seus clientes, sem precisarem do seu consentimento.

Num mundo onde há motivos para se ser cada vez mais desconfiado, a relação que se tinha com os operadores (nem sempre tão pacífica como se desejaria) acabava por ser uma das poucas em que existia uma relação de confiança - de importância fundamental, considerando que o operador tem acesso privilegiado a tudo o que visitamos, que apps utilizamos, e até por onde andamos.

Nos EUA esses dados já podiam ser vendidos ou partilhados com terceiros, desde que os clientes dessem o seu consentimento, mas com esta alteração da lei, os operadores ficam com liberdade total para fazerem o que bem entenderem com estes dados, sem que os clientes tenham qualquer palavra a dizer.

Num mundo ideal, seria a oportunidade perfeita para que um operador se demarcasse e garantisse que continuaria a manter os dados dos seus clientes sob sigilo (a não ser que dessem permissão em contrário); mas no mundo real, o que teremos são operadores a ganhar duplamente à conta dos seus clientes, que já pagam pelo serviço, mas agora passarão a ser também uma valiosa fonte de dados que será de interesse para inúmeras empresas. Os sites que se visitam, as apps que se utilizam, e as pesquisas que se fazem são suficientes para criar perfis bastante completos sobre cada utilizador em particular, e tornam nos operadores em "espiões" privilegiados com capacidade para obter ainda mais dados que empresas como a Google ou o tracking feito pelas redes publicitárias.

Aos utilizadores restará considerarem a utilização de uma VPN, mas neste caso aquilo que se esconde ao operador passará a estar acessível ao prestador do serviço da VPN, pelo que continua a ser indispensável uma relação de total confiança com o serviço que se escolher/contratar - e parecendo-me que em grande parte dos casos, os utilizadores continuarão a preferir confiar no operador, mesmo sabendo que esta a pagar por um serviço que vai vender toda a sua informação privada sempre que tiver oportunidade para isso...

Esperemos que seja daquelas coisas que não seja importada para este lado do Atlântico!

3 comentários:

  1. USA é mesmo uma palhaçada...é tudo permitido a troco de dinheiro...

    ResponderEliminar
  2. Cá para mim, vão colocar o direito à privacidade com um extra a ser pago, como também acontece por vezes no registo e domínios.

    ResponderEliminar

[pub]