2017/03/19

Popslate vai encerrar e deixar clientes sem ecrãs e-ink para os seus iPhones

Foi há precisamente um ano que a Popslate atraia o interesse de muitas pessoas com a perspectiva de adicionarem um ecrã e-Ink ao seu iPhone, mas infelizmente torna-se apenas em mais um projecto desastroso de crowdfunding que deixa os investidores sem dinheiro nem o produto prometido.

As campanhas de crowdfunding têm sempre um grau de risco associado, mas no caso deste Popslate 2, o risco poderia considerar-se minimizado pelo facto da empresa ter conseguido trazer para o mercado o Popslate "1". Isso, aliado a um preço bastante atractivo (que começava nos $69), fez com que esta campanha tivesse angariado mais de 1.1 milhões de dólares, o que fazia antever que tudo estivesse pronto para correr bem...

Infelizmente, as coisas depressa começaram a levantar sérias dúvidas, especialmente quando a data prometida para a entrega (Julho) chegou e passou, e os meses continuaram a passar, acompanhados por notícias de dificuldades que iam justificando adiamentos e mais adiamentos. Mais de meio ano mais tarde, as notícias que finalmente chegam aos apoiantes do projecto são aquelas que mais receariam ouvir: que a Popslate vai encerrar actividade, deixando os investidores sem as suas capas e-Ink e sem direito a reembolso.

Casos como este são profundamente desagradáveis e poderão deixar milhares de pessoas muito mais receosas de apostar em projectos de crowdfunding, mas a verdade é que o conceito em si continua a ser bastante positivo e funcional. Importa é estar bem consciente, desde logo, de que nestas coisas não há qualquer garantia que as coisas corram como previsto, e que o investimento feito pode acabar por ser uma perda total.

3 comentários:

  1. Quem investe em crowdfunding devia ter a consciência bem clara de que se trata de um investimento em startups tecnológicas, que historicamente têm um histórico de sinistralidade à nascença muito elevada. Não é, como muita gente pensa, dar uma entrada inicial para ter um produto no futuro. Essa perspectiva está errada. Neste tipo de mercados, se 20% dos projectos vingarem, isso já é muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade que depois de um projeto fracassar é fácil dizer: "Como é que não viram logo? Bastava ler a descrição e percebia-se bem que era vigarice ou pelo menos irrealista".
      Já tenho dito. Dos tais 20% é que gostava que houvesse mais notícias, assim até tenho dúvidas que existam.

      Eliminar
    2. Estes até tinham a "ajuda" de já terem lançado um projecto anterior identico com sucesso. No entanto, o preço parecia-me demasiado baixo...

      Eliminar

[pub]