2017/04/19

Windows 10 vai limitar apps em background para poupar bateria


A Microsoft está prestes a adicionar ao Windows 10 uma funcionalidade que permitirá limitar a utilização do CPU aos processos em background, conseguindo uma poupança da bateria que poderá ser superior a 10%.

Tradicionalmente o Windows (a par da maioria dos sistemas operativos nascidos nos desktops) é um sistema que não se preocupa demasiado com o que está a ser executado, tentando apenas gerir da melhor forma os recursos do CPU disponíveis pelos processos que estão a ser executados. Mas em breve o Windows 10 vai aprender mais alguns truques inspirados em técnicas utilizadas nos equipamentos mobile - e até nos browsers - e que passam pela limitação da utilização do CPU em tarefas em segundo plano que não sejam consideradas críticas.

A funcionalidade está disponível no último Windows 10 preview e nos sistemas que utilizem CPUs Intel Skylake ou Kaby Lake, e não se esquece de disponibilizar várias formas para evitar potenciais efeitos adversos inesperados. O Windows 10 tentará reconhecer o tipo de processos em execução, para não limitar tarefas que realmente precisam de processamento constante (como serviços de streaming de música, etc.), mas se estiver a interferir negativamente com alguma app, o utilizador poderá indicar que a app não deverá ficar sujeita a esta limitação de recursos. Em casos mais extremos, bastará ao utilizador seleccionar o modo de máximo desempenho, que também desactivará este novo modo de poupança.

De certa forma é um modo que faz todo o sentido de existir, pois acaba por ir ao encontro do novo "gaming mode" que também atribui maior prioridade ao jogo que se estiver a jogar e também tenta limitar o processamento que seria desperdiçado em processos em background sem importância crítica. Só que neste caso, orientado para a poupança da bateria em vez de disponibilizar o máximo desempenho para um programa específico.

2 comentários:

  1. Estas distinções são um pouco aleatórias e já a situação de limitar esta função às últimas gerações de processadores me leva a ficar intrigado. De qualquer das formas, será a App do whatsapp ou messenger alvo deste throttling? É que é quando não estamos com ela aberta que mais precisamos dos seus alertas. Que será da sincronização em background do Dropbox? Terá o onedrive um tratamento diferente? Já o choque dos dois universos paralelos das apps x86/x64 vs as WUP com este tema à mistura vai tornar o Windows num sistema menos inteligível. Parece-me

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se trata de impedir as apps de funcionarem em background, meramente restringir um pouco a sua utilização do CPU. Por exemplo, ninguém ficaria incomodado por uma notificação do whatsapp chegar com 1 segundo de atraso; ou que uma sincronização de um ficheiro demorasse 50 segundos em vez de 45s (o que não quer dizer que seja o caso - já que muitas vezes as limitações nem são do CPU mas sim de outros recursos, como a velocidade de internet, etc.) Os CPUs actuais já passam a maior parte do tempo à espera, isto é só uma tentativa de fazer com que eles não entrem em modos mais gastadores de energia por causa de tarefas que na realidade poderiam ir funcionando um pouco mais lentamente.

      E como dito, nos casos em que isso não seja desejável, há formas de dizer que não se quer esta gestão, tanto a nível global, como por app.

      Eliminar

[pub]