2017/06/09

Phoenix e outros add-ons do Kodi encerram actividade


A crescente popularização dos add-ons do Kodi para fácil acesso a conteúdos pirata tem gerado enorme contestação por parte dos defensores dos direitos de autor, e agora começam a fazer-se sentir os efeitos das pressões que têm sido aplicadas.

Na impossibilidade de proibirem o Kodi, que nada tem de ilegal, a mira centrou-se sobre os responsáveis dos mais populares add-ons que facilitam o acesso aos conteúdos problemáticos. O popular Phoenix encerrou actividade, assim como o ZemTV (alvo de processo judicial) e outros add-ons que, ou têm sido alvo de processos ou estão a optar por encerrar de forma preventiva, antes que chegue a sua vez.

No entanto, é também inevitável que este tumulto inicial que apanhou de surpresa muitos dos developers destes add-os, assim como os seus utilizadores, acabe por acalmar. Tal como tem acontecido no caso do encerramento dos sites de partilha, o desaparecimento de um apenas vem criar um espaço pronto a ser ocupado por outro. No caso dos add-ons, é bem provável que estes acontecimentos apenas promovam a criação de outros que recorram a sistemas open-source e distribuídos, que não possam ser encerrados nem fiquem dependentes de apenas um developer ou um serviço.

Já bem sabemos que a única forma de acabar de vez com a pirataria é torná-la desnecessária... e bastaria imaginar que se tudo o que os utilizadores procuram nestes sites e add-ons estivesse disponível num serviço pago tipo Netflix, seguramente ninguém iria hesitar em optar pela forma legal e mais simples de lhes aceder. Em vez disso, temos os distribuidores e produtos ainda a insistir nas fronteiras digitais, e onde e como é que se pode ver o que eles bem entendem... e não é esse o caminho que nos levará à solução do problema.

4 comentários:

  1. Fui client da Netflix no primeiro dia que iniciou a operação em Portugal, cancelei a subscrição assim que resolveram não permitir a app de correr no meu telemóvel com o bootloader aberto, não está sequer rootado. Logo parece que não aprendem, ganhou a Amazon que até ao momento não enveredou por essas práticas.

    ResponderEliminar
  2. Gostava do Netflix com acesso via VPN pra poder assistir de outros países. Ao invés de transformarem isso em uma possibilidade para todos os assinantes e cobrar taxa por isso preferiram bloquear a opção, depois disso terminei minha subscrição.

    ResponderEliminar
  3. Para o português típico, pagar nem que seja um euro por um filme que pode ser gratuito ainda que pirata, é uma questão com resposta imediata. Há dias estava na fisioterapia e o médico diz ia-me: tenho uma daquelas boxes, só tenho Internet e pago mensalidade mais baixa. Portanto neste caso era financiar directamente actividade criminosa.

    ResponderEliminar
  4. Netflix chega e sobra para as minhas necessidades... paga-se um valor aceitável se compararmos com o que os operadores nos cobram (que também temos de pagar), temos muita oferta (mesmo para portugal), e garantia de qualidade.

    Neste momento pondero devolução de 2ª box de operador pois está continuamente em stand-by, com a Netflix a bombar diretamente na TV.

    Estas alternativas piratas existirão sempre para aqueles que não estão disponíveis para pagar qualquer serviço, por muito barato que seja.

    ResponderEliminar

[pub]