2017/06/03

Walmart testa entregas pelos empregados a caminho de casa


O gigante norte-americano Walmart não quer ficar parado enquanto vai vendo a Amazon dominar cada vez mais o mercado de logística a nível mundial, e avança com um programa piloto em que paga aos seus funcionários para fazerem entregas de encomendas no final dos seus turnos quando vão a caminho de casa.

A Amazon é um colosso com uma impressionante capacidade de nos fazer chegar os produtos que compramos online de um dia para o outro (se estivermos dispostos a pagar por isso); por outro lado a Walmart é uma empresa que, só nos EUA, emprega 1.4 milhões de pessoas (2.1 milhões a nível mundial) e conta com mais de 4700 lojas. Mais importante ainda, é que 90% da população norte-americana vive num raio de 16km de uma das suas lojas; fazendo que a ideia de usar o percurso de regresso a casa dos seus funcionários para fazerem as entregas, extremamente atractivo.


Claro que nada disto invalida a aposta da Amazon em depender cada vez menos de pessoas e ter um sistema o mais automatizado possível (incluindo a possibilidade de usar drones para fazer entregas urgentes em tempo reduzido). Mas, num prazo muito mais reduzido, esta ideia da Walmart é também bastante interessante.

... De certo modo, quase que o mesmo conceito poderia ser por cá aplicado às nossas lojas do Continente, Modelo, e afins. Mas primeiro, seria conveniente que tornassem o site bastante mais simpático - e rápido - de utilizar. Será que ainda não leram aquelas indicações da Google que revela o número de utilizadores que abandona fazer uma compra online por cada décimo de segundo extra que a página demora a carregar?

4 comentários:

  1. nao é má ideia ate os empregados fazem uns euros a mais e ja vao por aquele caminho e vao.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vergonha é roubar e enganar..., agora se isso é dito em relação aos ordenados dos funcionários dos Hipers, aí de acordo. (é o que faz postar sem fundamentar... um tipo tem que adivinhar).

      Eliminar
  2. Estou a ver o pessoal no metro, nos autocarros com as caixas!

    ResponderEliminar

[pub]