2017/07/06

Ad-blocker do Chrome vai ser arma eficaz contra a pirataria


A notícias de que o Chrome virá com um adblocker de origem a partir do próximo ano foi bem acolhida pelos utilizadores, mas esta alteração poderá ter como efeito secundário o encerramento de vários sites pirata.

A esmagadora maioria dos sites pirata existem para ganhar dinheiro à custa da publicidade que é apresentada e, com o Chrome - o browser mais utilizado - a bloquear a publicidade considerada abusiva, esse rendimento irá reduzir-se substancialmente. Alguns operadores destes sites vão já alertando para que isso poderá levar ao seu encerramento, queixando-se que aquilo que ganham actualmente já mal dá para sustentar os servidores e custos de operação.

Quem for fã deste tipo de sites não terá, no entanto, que recear que esta medida da Google signifique o fim da pirataria (embora entidades como a RIAA bem o desejassem). Por um lado, continuarão a existir sites que descobrirão formas de enganar o adblocker do Chrome e continuar a apresentar publicidade com fartura (da mesma forma que há sites que ainda conseguem abrir popups e pop-unders mesmo com adblockers instalados); por outro, há sites pirata que se mantêm fiéis aos seus princípios de disponibilizar o acesso a conteúdos sem a componente do interesse financeiro de lucrar com isso. Para estes últimos, ter um corte nas receitas da publicidade não os irá afectar minimamente, continuando a operar como sempre fizeram (para além de que são os sites que mais provavelmente terão uma comunidades disposta a contribuir com dinheiro para manter o site a funcionar, caso tal viesse a ser a necessário.)

Com a parte do ad-blocker arrumada, espero que o próximo passo seja a Google implementar uma VPN integrada no Chrome, que bem útil seria para nos dar descanso adicional ao usar a internet em redes WiFi desconhecidas... e também para permitir que se conseguisse aceder aos conteúdos que vão sendo bloqueados com cada vez maior frequência (se bem que, em muitos casos, a simples utilização dos servidores de DNS da Google já é suficiente para contornar esses bloqueios.)


1 comentário:

  1. Ou então estes sites passam a usar publicidade que não seja considerada abusiva... lol pois vamos sonhando.

    ResponderEliminar

[pub]