2017/07/03

Apple quer LG a produzir OLEDs exclusivamente para iPhones


A Apple não quer ficar dependente da Samsung Display como fornecedora de ecrãs OLED, estando prestes a investir vários milhares de milhões de dólares na LG para que esta dedique algumas das suas futuras linhas de produção exclusivamente para os dispositivos da Apple.

Se nos LCDs a Apple tinha facilidade em recorrer a diversos fabricantes, para os ecrãs OLED que deverão equipar o próximo iPhone 8 as coisas são bem mais complicadas, pois apenas a Samsung tem - neste momento - capacidade para produzir ecrãs nos volumes que a Apple necessita, e mesmo assim ficando sujeita ao ritmo de produção que a Samsung conseguir fornecer.

Já olhando para o futuro, prevendo que os ecrãs OLED começarão a ser aplicados a todos os iPhones (em vez de apenas o modelo "especial" deste ano) e eventualmente até aos iPads, a Apple está interessada em investir vários milhares de milhões de dólares na LG, que planeia construir uma nova fábrica para produção de OLEDs. Um investimento que seria recompensado com algumas linhas dedicadas exclusivamente à produção de OLEDs para a Apple.

De relembrar que também a Google estaria interessada em investir mais de 800 milhões de dólares na LG, como forma de garantir ecrãs para os seus Pixel. Este investimento da Apple superaria amplamente esse valor, seguramente deixando-a numa posição prioritária para obter os tão desejados ecrãs. De qualquer forma, esta fábrica só começará a produzir em 2019... pelo que, até lá, a Apple terá que continuar dependente da Samsung.

5 comentários:

  1. Mas quem é a Apple para querer por a LG a fazer algo? Mais isenção nas noticias por favor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é a Apple? É alguém disposta a pagar mais de metade da nova fábrica que a LG pretende construir...

      Eliminar
    2. Comentário com 10 anos de atraso.

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Penso que será despropositado dar lições de como funciona a economia de mercado, fornecedores, clientes, etc. Se o argumento de ter um cliente que garante a compra da quase totalidade da capacidade de produção de uma fábrica não te chega, então nenhum outro chegará...


      P.S. o facto da Apple "querer" não implica que a LG aceda (estarão no seu direito de aceitar ou recusar)... pelo que me parece que a falta de isenção estará mais na forma como leste e interpretaste a notícia do que na forma como foi escrita.

      A Google também quer os OLEDs da LG e estava interessada investir 800 milhões... se fossem eles a querer a (quase) totalidade da produção, já seria uma notícia "isenta"?

      Eliminar

[pub]