2017/09/16

Google promove exemplos do ARCore


Com o ARKit da Apple a chegar a milhões de iPhones na próxima semana com a disponibilização do iOS 11 e a relançar o interesse nas apps de realidade aumentada, a Google volta a relembrar que também já tem solução idêntica com o seu ARCore, que basicamente aproveita a experiência ganha com o Project Tango mas dispensando a câmara 3D.

Depois de anos a investir no Tango como caminho para a realidade aumentada, a Google teve a capacidade de reconhecer que talvez fosse melhor seguir outro caminho, como o que estava a ser indicado pelo ARKit da Apple, que permite trazer as mesmas funcionalidades para smartphones comuns sem necessidade de hardware especializado. E agora já nos mostra o que os developers estão a fazer com o ARCore.

Embora ainda falte esclarecer quais são os Android que terão direito ao ARCore (e quando é que isso acontecerá), há que dar o devido crédito à Google por ter conseguido reagir em tempo recorde ao anúncio do ARKit, e conseguir disponibilizar a sua resposta.

Como é habitual neste tipo de coisas, preparem-se para ver muita coisa de interesse "duvidoso"... mas já se sabe que depois de passar esta fase da novidade, começarão a surgir ou permanecer as boas ideias, e logo de seguida surgirá a questão: "isto seria mesmo bom a correr directamente nuns óculos e não num smartphone ou tablet!" Será este ARCore e ARKit o início do fim da era dos smartphones? Daqui por uma década saberemos... :)







4 comentários:

  1. Onde eu gostava de ver a Realidade Aumenta posta a funciona seria nos museus, castelos, palácios.

    ResponderEliminar
  2. Então, por junto, houve dois smartphones comerciais com Tango: o Lenovo Phab 2 Pro e o Asus Zenfone AR. Tudo leva a crer que não haverá mais nenhum.

    Com o ARKit, para iPhones desde 2015 (o modelo 6s) a Apple mandou às urtigas o Tango (e a Google também, agora com o ARCore).

    Mas também vem nas listas do que foi copiado do Android :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito no fim do Tango... No fundo, o que a Apple meteu no câmara frontal é um "Tango".
      A nivel de tamanho (e aparentemente consumos) a Apple parece ter dado conta do recado, agora é só esperar que isto se "espalhe"...

      Eliminar
    2. Ao fim de vários anos, dois smartphones de que ninguém ouviu falar e 50 apps que não há paciência para usar mais de 30 segundos. Não se pode dizer que o Tango seja uma história de sucesso.
      O sucesso está nas apps e no número de smartphones a que chegue a AR.
      - Apps de jeito para Tango se não apareceram antes não se vê como vão aparecer. Ao que se diz não será difícil portar apps do ARKit (vamos ver que qualidade têm) para o ARCore.
      - O ARKit corre em iPhones normais (desde 2015). O ARCore logo se vê, mas será um número bem mais alargado que o Tango. Que se saiba não está previsto mais nenhum smartphone Tango.
      Se não há novos smartphones nem apps, o Tango foi-se.


      Eliminar

[pub]