2017/11/13

Android 8.1 poupa espaço nas apps pouco utilizadas

O mais recente Android 8.1 vem com inúmeras vantagens e, para além de nos dar mais explicações sobre as apps que gastam bateria, também vem com novidades a nível de poupar espaço quando o mesmo começa a escassear.


O armazenamento é, a par da autonomia, um dos aspectos mais limitativos na utilização de um smartphone. Ficar sem bateria e não ter um carregador ou powerbank à mão é algo que todos odeiam (especialmente por acontecer quase sempre no pior momento possível, quando se precisa efectuar uma chamada, ou consultar um email urgente) e o mesmo se passa quando o nosso smartphone nos avisa que não vamos ter espaço livre para guardar "aquela" foto que iria imortalizar um momento especial que não se voltará a repetir.

Hoje em dia é habitual ver smartphones com 64GB ou até mesmo 128GB de armazenamento, mas nos modelos económicos continua a ser frequente ter apenas 16GB (ou até mesmo 8GB) que depressa mostram as suas limitações aos utilizadores que gostem de instalar muitas apps ou dar uso frequente à câmara. No caso de utilizarem o backup para o Google Photos este tem a possibilidade de eliminar localmente algumas das imagens mais antigas que já se encontrem na nuvem, mas para as aplicações... tal não era possível, até agora!

Para contornar esta limitação, desde o final de Outubro que o código no Android Open Source Project (AOSP) contém uma nova funcionalidade, que é activada automaticamente quando o equipamento fica com pouco armazenamento disponível. O Android passa a monitorizar as aplicações que estiverem a correr em primeiro plano ou em background e também as que foram chamadas por outras aplicações. Esta informação fica guardada num campo com o número de dias passados desde a última utilização.

Quando uma aplicação está a ser utilizada pela primeira vez, o Android trata de efectuar um determinado conjunto de operações para optimizar a execução das mesmas. Esta acção gera novos ficheiros que vão ficar guardados em /data/dalvik-cache (e ocupar espaço adicional). As aplicações que forem marcadas como inactivas ficam excluídas desta cache do compilador Dalvik, permitindo poupar esse espaço, que poderá ser utilizado para fins mais urgentes.

Note-se que esta funcionalidade não vai reduzir o espaço ocupado pela instalação das aplicações, apenas vai ter impacto no espaço extra que esta poderia ocupar caso fosse utilizada de forma mais frequente (não é como a funcionalidade que existe no mais recente iOS, em que as apps pouco utilizadas podem ser "desinstaladas" para poupar todo o seu espaço, sendo reinstaladas quando se quer voltar a utilizá-las - e mantendo os dados dos utilizados). Para além disto, o processo aplica-se unicamente aos smartphones equipados com Android 8.1, o que nesta altura representa um universo muito limitado de equipamentos. Por isso, ainda vai demorar bastante tempo até que esta funcionalidade passe a produzir resultados efectivos no mundo Android em geral.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]