2017/11/14

Google quer limitar acesso à API de Acessibilidade em Android

Depois de anos sem qualquer tipo de controlo, a Google anuncia que vai fazer um controlo apertado das apps que usem os serviços de acessibilidade em Android, e que pode resultar no fim de apps e utilitários bastante populares que a eles recorrem.

A API de acessibilidade do Android dá acesso a funcionalidades bastante avançadas, e embora sejam destinadas a fornecer serviços para facilitar o acesso a pessoas que possam ter dificuldade em utilizar o dispositivo da forma mais habitual, são também a forma que muitas apps encontraram de aceder a partes do sistema sem necessidade de fazer root do equipamento.

O problema é que, como em tudo, se há apps que utilizam estas capacidades de forma "útil", há também um enorme potencial para abusos por parte de apps menos bem comportadas, e terá sido isso que leva a Google a mudar radicalmente de posição e dizer que só permitirá na Play Store apps que usem a API de Acessibilidade para o efeito que foi criada, de facilitar a interacção para utilizadores com capacidades reduzidas.

Apps como o Tasker, Greenify e outras recorrem à API de acessibilidade para saberem que outras apps estão a correr (por exemplo), e são algumas das que se arriscam a ser removidas da Google Play Store caso não sigam as novas "recomendações" (leia-se: exigências) da Google num prazo de 30 dias.

Esperemos que a Google esteja receptiva a reconhecer quando há apps que dão uso a esta API para efeitos positivos e permitam que continuem a fazê-lo... pois senão, esta medida que visa minimizar os abusos apenas terá como efeito deixar um maior número de utilizadores em risco, forçando-os a instarem apps de fora da Play Store, ou que obriguem a fazer root aos seus equipamentos.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]