2009/01/14

Western Digital prepara disco de 2TB

E na corrida ao armamento armazenamento, maior é sempre melhor. A Western Digital não está disposta a ficar para trás na corrida e diz que o seu Caviar Green 2000GB WD20EAD, vai ser lançado ainda esta semana.

Para além dos 2TB de espaço (ao quais serão certamente "roubados" alguns GB, de acordo com as "medidas" usadas pelos fabricantes de discos rígidos) podem esperar tempos de acesso de 8.9ms e 32MB de cache.

O preço anunciado é de uns interessantes 170 Euros, o que vem bem a tempo para me salvar a vida assim que eu acabe de encher os recentes 2x 1TB extenos que comprei.

11 comentários:

  1. Os fabricantes de discos não roubam GB. Eles fazem as contas em gigabytes reais (GB) e não em gibibytes (GiB) como o Windows.

    ResponderEliminar
  2. Não, é mesmo o caso de os Gigabytes "reais" representarem ambos os casos.

    "It means either 1,073,741,824 bytes (1024^3, or 2^30) or 1,000,000,000 bytes (1000^3, or 10^9)."

    Portanto, é o que eu dizia... os gigabytes dos discos não batem certo com os gigabytes tradicionalmente utilizados na informática (e não tem nada a ver com o Windows em si. :)

    ResponderEliminar
  3. vçs tem os dois parte razao.
    o prob e' mm a unidade q se usa.

    ResponderEliminar
  4. Carlos, mas se leres o que diz mais abaixo no artigo da Wikipedia:
    "1,073,741,824 bytes, equal to 1024^3, or 2^30 bytes. This is the definition commonly used for computer memory and file sizes. Microsoft uses this definition to display hard drive sizes[2]. (The Linux kernel uses the SI value.) Since 1999, the IEC recommends that this unit should instead be called a gibibyte (abbreviated GiB)."

    Tem a ver com o Windows, pq a Microsoft insiste em usar esta definição, ao contrário do Linux pelos vistos. Giga é um prefixo que sempre significou mil milhões (1.000.000.000) quando aplicado a todas as unidades de medida. O Comité Electrotécnico Internacional (IEC) recomenda desde 1999 que se use este significado decimal em tudo o que for direccionado ao público em geral, deixando a notação binária para os engenheiros, quando necessário, e devidamente identificados (GiB).

    Portanto, de acordo com as normas internacionais, os fabricantes de discos estão correctos, assim como os fabricantes de equipamentos de redes e telecomunicações (para quem Gigabit = 1.000.000.000). Já no Windows, é como os touros em Barrancos... é tradição!

    Só nos chips de memória é que faz sentido usar o K = 1024, etc. Para aumentar a capacidade de um chip, só duplicando. Nunca podem ter 1000, seja KB, MB, GB, etc... só 1024. Só se começarem a desligar os bits "extra". :)

    Tenho dúvidas é como estarão a medir a capacidade dos SSD, já que são compostos de chips de memória!

    ResponderEliminar
  5. Os discos podiam era vir identificados com a capacidade nas duas notações.
    500 GB / 465 GiB
    1 TB / 931 TiB

    Já agora, outra complicação. Os DVD-/+R tem a capacidade indicada em notação decimal. Por isso é que de 4.5GB de capacidade passam para 4.2GB no Windows. Já os CDs creio que ainda usam a notação binária. :)

    ResponderEliminar
  6. Antes do Windows, antes dos 1999, já existiam "gigas" para dar e vender... e desde que aprendi assembler no tempo da carochinha que os "Kapa", "Mega", "Giga", quando se falava em informática - eram referentes aos valores binários.

    E - tal como falaste - que raio de lógica tem usar-se, num mesmo sistema - quer seja Windows/Linux/OS X/relógio de pulso ou lá que for: GB são 1000 se for no disco, mas se for na RAM já são 1024; e se for nos SSD então nem se sabe, porque são "disco" e "ram" ao mesmo tempo...

    É uma salgalhada.

    E portanto, continuarei a dar uso à minha liberdade de expressão e:
    "The IEC's recommendations are frequently ignored amongst computer professionals, and "gigabyte" is used colloquially to mean 10243 bytes."

    :)

    ResponderEliminar
  7. «os "Kapa", "Mega", "Giga", quando se falava em informática - eram referentes aos valores binários.»

    Eram, virgula! Apenas no que se refere a memória/armazenamento. É que mesmo dentro da informática, mas quando se fala em velocidades de relógio, taxas de transferência de dados, operações por segundo, etc, usam-se esses prefixos com significado decimal! Quando dizes que uma memória tem uma largura de banda de 10GB/s, que significado estás a dar ao G?? E nos GFLOPS? Pois é!!!

    Que sentido faz isto? Só pq uns americanos (que não sabem o que é um kilograma) quiseram há décadas atrás simplificar a escrita de 1024bytes como sendo 1KB, actualmente temos este problema de ao ver GB, TB, etc, não podermos ter a certeza do valor exacto representado! Depende do q estivermos a ver seja um disco, uma memória, um DVD, um ficheiro no Windows ou em Linux, se é capacidade de armazenamento ou taxas de transferência, etc.

    Mts centenas ou milhares de anos antes de nós sermos nascidos, já existia o kilo, Mega, Giga, e por ai fora como notações decimais. Os informáticos quando chegaram aos 1024bytes ainda usaram o K em maiúscula para separar do k de kilo. Mas depois quando chegaram aos megas já não dava para fazer o mesmo. A confusão foi tal que nas disquete de 1.44MB, 1MB = 1024000bytes em vez de 1048576bytes como se considera hoje.

    A norma do IEC veio resolver isso. Eu tb achei mt estranho na altura, mas com o passar dos anos estou-lhes a dar cada vez mais razão. KB, MB, GB, etc deviam ser usados universalmente com significado decimal. Onde ou quando for necessário usar notações binárias, há o KibiByte (KiB), MebiByte (MiB) e GibiByte (GiB), etc.

    Claro que tu podes continuar a usar como quiseres. Por mim até lhes podes chamar queijobytes ou batatabytes! Mas se queres que o resto do mundo saiba de que estás a falar, ou defines previamente, ou usas as normas vigentes. :)

    ResponderEliminar
  8. E a norma vigente diz que Gigabyte serve para ambos os casos dependendo do contexto! :P

    Lá por recomendarem e promoverem o uso do Jibrasbytes não faz com que o GB binário esteja errado.
    É uma recomendação que eventualmente irá tendo cada vez mais adeptos, deixando apenas os "dinossauros" como eu ainda a pensar em binário. :)

    Eu até sugeriria eles explicarem isso ainda melhor, e criarem o Rámó-baite (para a RAM) e o discó-baite para os discos, que isso arrumava de vez com a questão. ;)

    ResponderEliminar
  9. Na pratica, sim, depende do contexto... infelizmente. E é por isso que há confusões, e discos que dizem ter uma certa capacidade e depois parecem ter menos. Neste caso até são 2 significados no MESMO contexto.

    Mas as normas emitidas pelas organizações internacionais mandam, ou recomendam, outra coisa. Só o JEDEC, que manda nas memórias, é que ainda usa KB = 1024.

    Eu sei q pode custar habituares-te à ideia... é um bocado como começar a pensar em euros em vez de escudos. Mas se a Microsoft alterasse o Windows com um patch amanhã, poucos iam dar pela diferença, e já ninguém se queixava da capacidade dos discos.

    Quando foi o pessoal a queixar-se q comprava computadores com 4GB de RAM e o Vista só dizia q tinha 3GB, a ver se a MS não meteu o SP1 a indicar 4GB (continua a usar 3, mas isso é outra história)! Os fabricantes receberam mts queixas e pressionaram a MS. No caso dos discos já o problema não é tão aparente, e não há tantas queixas.

    Os fabricantes de discos usam o significado q lhes dá mais jeito, tal como os gajos que fizeram o primeiro chip de 1024bytes (só que eles até inventaram um significado novo para K!). 500GB fica melhor do que 465... 1TB fica melhor do que 931GB. Mas que as normas estão do lado deles, ninguém pode negar.

    ResponderEliminar
  10. 1 Byte = 8 bits.
    daí, 1GB = 1024 MB
    B = Bytes; b = bits. o resto é treta.

    os fabricantes dizem 1 GB = 1000 MB mas depois não sei se são coerentes ao ponto de dizerem 1 Bit = 1 Byte, pelo mesmo método.

    Simplesmente serve-lhes para chegar mais facilmente a números gordos e vendáveis e mais nada visto que, na realidade e tecnicamente 1GB = 1024 MB

    ResponderEliminar
  11. @zé chaminé

    Hein??? Isso não tem cabimento. Lá por 1 byte ser constituido por 8 bits, em que é que isso há-de afectar o significado de kilo, mega, giga, etc quando aplicados aos bytes?

    Então por esse principio, 1 gigabit = 1000 megabits, mas 1 gigabyte já é 1024 megabytes??? Isso é ridiculo.

    Não há necessidade nenhuma de se usar um multiplo de 8, visto q nunca há necessidade de dividir bytes por 8. Quanto muito multiplica-se para termos bits. O valor 1024 é usado por ser um multiplo de 2, não de 8!

    ResponderEliminar

[pub]