2011/12/12

Native Client no Google Chrome


O Google parece estar a entrar numa segunda fase de relançamento do seu Native Client no Google Chrome, que é como quem diz: a possibilidade de correr código nativo dentro do browser, e como tal... executar todo o tipo de programas sem os tradicionais contrangimentos associados ao browser.

Para servir de exemplo, o Google refere o Bastion, um jogo da Xbox Live que ganhou o título de melhor jogo original nos Video Game Awards e que podem agora jogar sem compromissos dentro do Chrome.





A ideia do Native Client é boa, e é algo que eu vinha a desejar/antecipar há anos... No entanto, no panorama cada vez mais "mobile" em que nos encontramos, faltará saber até que ponto é que as Apps feitas em Native Cliente serão igualmente possíveis de ser corridas em tablets e smartphones. Porque senão, qual a diferença entre isto e os múltiplos e variados plugins estilo "Flash/Silverlight/etc"? Ainda por cima se apenas permitir que estas Apps corram num Chrome instalado num computador tradicional e nem sequer num tablet Android.

Está previsto que no futuro o Native Client passe a ser o Portable Native Client (PNaCl dito "pinnacle") e que aí permitirá verdadeiramente uma universalidade total, com um conjunto de instruções virtualizado e capaz de correr em qualquer plataforma que o suporte - ao contrário de ter que ser compilado especificamente para x86, ou x64 como agora acontece (e sem suporte para ARM).

1 comentário:

  1. Parece-me que a 1ª e grande vantagem é abranger, já, todos os sistemas operativos para desktop (Windows, Mac e Linux) e com isso, basta instalar o Chrome em qualquer um deles e temos lá todas as apps e todos os jogos (de preferência com os dados salvos na cloud). Acaba-se com a dependência de um determinados sistema operativo e até mesmo, de um um determinado computador (já que os dados estarão na cloud e ao instalar o Chrome, temos lá tudo).

    Mas acredito que mais tarde arranjem uma solução para tudo isto chegar ao mobile -- basta pensar no Tizen da Intel, que já se vai concentrar nas apps em HTML5. É esperar pela evolução da tecnologia. :)

    ResponderEliminar

[pub]