2013/11/18

Baterias auto-regenerativas poderão ser solução para o futuro


As baterias continuam a ser o principal factor limitativo nos equipamentos móveis. Depois da tecnologia nos ter trazido telemóveis com autonomia para semanas, os smartphones fizeram-nos regredir aos tempos em que se torna habitual recarregar um equipamento diariamente (ou até mais que uma vez por dia!) Mas em breve poderemos ter boas notícias quanto a isso, devido a uma nova tecnologia que permite criar baterias auto-regenerativas.



Para melhorar o desempenho e capacidade de armazenamento de energia das baterias de lítio, os investigadores estão a utilizar silício, que aumenta consideravelmente as suas prestações. Infelizmente, o silício expande o seu tamanho até 300% quando armazena energia e depois diminui de tamanho quando descarrega, fazendo com que as células literalmente se desintegrem após alguns ciclos. Mas há esperança: utilizando-se uma membrana especial auto-regenerativa em seu redor, as células podem expandir o seu tamanho e posteriormente regressar ao tamanho original, com as suas fracturas a desaparecerem em pouco tempo.

Por agora os eléctrodos que usam este sistema são capazes de suportar 100 ciclos de carga descarga (dez vezes mais que eléctrodos que não usem a membrana auto-regenerativa); e os cientistas esperam conseguir atingir os 500 ciclos para baterias de smartphones e 3000 ciclos para baterias de automóveis eléctricos.

Venham de lá estas super-baterias, que há muito que estamos à espera de melhorias significativas nas baterias - e bem necessárias são para nos darem um pouco mais de liberdade dos carregadores.

1 comentário:

  1. Ora já vamos em 4 tecnologias que prometem revolucionar a coisa mas a coisa não revoluciona :P

    ResponderEliminar

[pub]