2015/06/08

Apple mostra iOS 9 na WWDC e passa o Swift a open-source


A Apple não deixou passar a sessão de abertura da WWDC 2015 para nos mostrar o futuro do iOS, e apresentou-nos um iOS 9 cuja inspiração parece ter vindo directamente... do Android.

Lembram-se de quando se passava o tempo a dizer que o Android copiava isto e aquilo do iOS? Com o iOS 9, passa-se precisamente o inverso, com as maiores novidades a serem coisas que muitos utilizadores já conhecem como Google Now e o próximo Google Now on Tap com maior inteligência e percepção sobre o que se está a ver/fazer no momento.

Siri pro-activa (a.k.a. Google Now)


A Siri fica mais inteligente, e passa a apresentar a informação relevante, não só dando avisos ao estilo Google Now, de que está na hora de partirmos para chegarmos ao próximo evento a horas; como também aprendendo com o tipo de apps que usamos a cada momento do dia, e sugerindo a sua utilização (coisa que o Android não faz directamente, mas que é implementado por muitos launchers alternativos). Coisas que ficam sempre acessíveis a um swipe de distância no ecrã principal... como o Google Now.


Outra "inspiração" é a apresentação do nome de pessoas cujo número de telefone não temos directamente na lista de contactos. Ao contrário do Facebook, a Apple limita-se a pesquisar por este número de telefone nos nossos emails, e a dizer que talvez pertença a determinada pessoa (útil para aquelas pessoas que colocam o seu telefone na assinatura do email.)



A pesquisa também passa a ter Deep Linking... numa réplica do que o Google nos mostrou a semana passada. Permitindo que os resultados das pesquisas possam apresentar coisas dentro das apps apropriadas, e posteriormente regressar à pesquisa. (É a prova de que as necessidades e evoluções das diferentes plataformas mobile são convergentes e têm as mesmas necessidades.)


Privacidade e segurança



Se as comparações com o Google seriam inevitáveis, a Apple não deixou de mandar a sua (in)directa, referindo que toma todas as precauções para garantir a privacidade dos utilizadores, de que todos estes dados não são associados ou partilhados entre serviços, nem a empresa externas, e que o utilizador está totalmente em controlo de toda a sua informação.


Apple Pay/Wallet


O Apple Pay continua em expansão e em Julho chega ao Reino Unido, onde poderá ser usado até nos transportes públicos (quando é que chegará a Portugal... é a verdadeira questão!) Também passa a suportar cartões de cliente para as lojas... e assim matando todas as apps/serviços que a isso se têm dedicado.


Nova Notes app



Esperava que com o iOS 9 a Apple desagregasse as apps "de sistema" do sistema, mas parece que ainda não é o caso. Por isso, o iOS 9 vem com novas apps melhoradas, incluindo o Notes, que passa a ser um pouco mais próximo do Google Keep (mas com alguns aspectos melhor conseguidos). Para além da formatação do texto, é agora possível adicionarmos listas com checklists dinâmicos, fotos, e também desenhar com os dedos, ou inserir links para páginas, locais e outras informações de outras apps através do painel de partilhas do sistema.



Nos Mapas o destaque foi, como já se esperava, para as informações de transportes públicos. A Apple diz ter ido ao ponto de mapear as estações mais complexas, para dar as informações adequadas e reais para se entrar na porta correcta e evitar que o utilizador fique "perdido". Também há forte aposta na pesquisa de locais próximos, por categorias (restaurantes, parques, etc.) cujos resultados são apresentados em cartões informativos... e que até indicam se os estabelecimentos suportam Apple Pay.

Apple News



Depois seguiu-se o Flipboard, ou melhor: o Apple News, Um autêntico Flipboard/Google News, onde podemos seleccionar os nossos tópicos de interesse e ter acesso a artigos sempre actualizados das mais diversas fontes, e que irão aprendendo com os nossos gostos.


QuickType no iPad



No iPad ganhamos o QuickType, que traz uma coisa que há muito já tinha sido sugerido como forma de evitar tirar as mãos do teclado para andar a tocar noutras áreas: basta tocar sobre o teclado com dois dedos para que a área passe a funcionar como um trackpad. Seleccionar e copiar texto passa a poder ser feito sem tirar as mãos do sítio. Já devia ter sido feito há muito tempo... mas pronto, mais vale tarde que nunca.

O suporte para teclados físicos também foi melhorado.


Multitasking no iPad



O muito aguardado multitasking no iPad chega em modo "side-by-side", permitindo colocar uma app numa secção lateral com um simples swipe (e permitindo ir mudando de app com swipe vertical), e também redimensionado o separador entre as apps, de modo a que o espaço fique divido igualmente entre as apps, ou se dê maior destaque a uma delas... como os utilizadores do Windows 8 já bem saberão. (A dependência em gestos de swipe que não são imediatamente óbvios poderá causar o mesmo tipo de críticas que o Windows 8 recebeu... e passar despercebidos a muitos utilizadores.)



No caso dos vídeos, também temos aquilo que os utilizadores de Android já conhecem do YouTube: o vídeo ficar numa janela flutuante que podemos arrastar para qualquer local, ou até colocar "fora do ecrã" (para quando só se quer ouvir a música.)


Low Power mode e outros melhoramentos



Outra coisa que já é bem conhecida dos Android: o iOS 9 ganha um modo "low-power" para quando o que interessa é prolongar o seu funcionamento, desligando tudo o que não é essencial e prometendo transformar 1h de autonomia restante em 4h. Vai dar jeito certamente.

Para este iOS9 a Apple preocupou-se com o espaço livre necessário para o upgrade, e reduziu-o para apenas 1.3GB (redução significativa face aos 3 ou 4GB que o iOS 8 inicialmente obrigava a ter livres.) E essa poupança de espaço também se faz sentir no download das apps, que agora parecem usar um sistema idêntico ao do Android, com as apps a descarregarem apenas as partes necessárias, e que nas actualizações podem fazer com que um update que necessitaria de 40 ou 50MB possa afinal necessitar de apenas 5 ou 10MB.

Nos jogos, a Apple disponibiliza APIs que disponibilizam inteligência artificial, cálculo de rotas, e também a gravação de vídeo dos jogos, para posterior partilha ou streaming.



No HomeKit, passamos a ter suporte para mais classes de dispositivos, como sensores, estores, sistemas de alarme... e acesso remoto via iCloud.

E na altura em que alguns carros começam a sair com CarPlay, a Apple faz deles obsoletos. Com o novo CarPlay a comunicação passa a ser wireless, dispensando a ligação física do iPhone ao carro. (A evolução é tramada...)


Swift passa a open-source



Numa das grandes surpresas da noite, a Apple anuncia que a sua linguagem de programação Swift passa a open source, e estará disponível para todas as plataformas. Eu sempre fui fã do Swift, e embora também goste do .net da Microsoft, é bom ver surgir um concorrente que se assume desde logo como open-source. Vamos ver que tal corre (e se não acaba por ser um pseudo-open-source, como o que Steve Jobs tinha prometido para o Facetime e que nunca se concretizou.)




O iOS 9 chega este Outono, para todos os dispositivos que suportam o iOS 8, e também terá uma versão beta pública a partir de Julho.

3 comentários:

  1. Full Multitasking nos iPads já deixa o Air 1 de fora?!?! Que grandes fdp!!!

    ResponderEliminar
  2. Não quero saber quem copia quem! Quero saber que paguei por um produto e que este continua a ser actualizado via oficial sem ter que recorrer a tutoriais na net, ROMs e outras que tais... Já o raio do Android que tenho, mal dá para instalar apps ainda que acabado de sair da loja...e actualizações é uma autêntica miragem.

    ResponderEliminar

[pub]