2015/06/29

Snapdragon 810 continua a ser criticado pelo aquecimento


A Qualcomm continua a não ter descanso quanto às críticas lançadas ao seu Snapdragon 810, fazendo com que aquele que era um dos chips mais aguardados para este ano se torne num dos mais indesejados.

Seguindo-se a uma linha de SoC bem sucedidos, esperava-se que o Snapdragon 810 viesse a ser o melhor e mais potente SoC ARM alguma vez criado. O chip é efectivamente potente... o problema é que toda a sua potência faz com que facilmente atinja temperaturas excessivas que fazem com que ele tenha que limitar a sua velocidade, tornando-o mais lento que chips de gerações anteriores.

Em novos testes que visam demonstrar a perda de rendimento quando o chip atinge temperaturas mais elevadas, o Snapdragon 810 fica atrás de chips como os Snapdragon 805 e 808, os Samsun Exynos 7420 e 5433, o Intel Atom Z3580, e o A8 da Apple - sendo este último o que melhor se comporta em termos de degradação de desepenho (cerca de 10%, face aos 20% do segundo classificado; no teste Geekbench.)


Importa referir que esta degradação de desempenho acontece apenas quando existe processamento intensivo, e que não será algo sentido em uso "normal" (a não ser que o vosso uso normal consista em utilizar apps ou jogos "exigentes" de forma continuada), mas ainda assim servirá para relembrar que não basta criar um chip hiper-potente para um dispositivo mobile se depois não há condições para tirar o máximo partido dele, acabando por ter um pior desempenho efectivo do que chips mais fracos.

... Por outro lado, há cada vez menos pessoas que ligam a estas questões das características técnicas e de que chip vem no interior do seu smartphone ou tablet. Muito provavelmente, criticarão mais o facto de um dispositivo aquecer demasiado e se tornar incómodo de segurar, do que o facto do seu desempenho se reduzir para um terço ou metade.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]