2015/11/18

Fin smart ring torna-se Neyya (e não cumpre com a promessa original)


Lembram-se do anel de polegar Fin que prometia uma nova forma de interacção reconhecendo gestos feitos com as mãos e dedos? Temos boas e más notícias: a boa é a de que, com mais de um ano de atraso foi finalmente concluído; a má é a de que o produto final nada tem a ver com o que tinha sido prometido.

O projecto para a criação deste anel inteligente Fin angariou mais de 200 mil dólares no Indiegogo, prometendo um anel que se colocaria no polegar e seria não só capaz de reconhecer gestos feitos no ar usando acelerómetros e giroscópios, como até reconhecer gestos feitos com os próprios dedos (como tocar com os diferentes dedos no polegar).

[o anel Fin como foi originalmente prometido]

Era um projecto ambicioso, sem dúvida, e as dificuldades para criar tal dispositivo depressa se começaram a fazer notar... e a temer o pior. Anunciado no início de 2014, a data indicada para a entrega dos anéis era Setembro desse mesmo ano; data que chegou e passou, e com pouco ou nenhuma comunicação por parte dos responsáveis pelo projecto.

Muitos já teriam perdido as esperanças de algumas vez verem algo sair deste projecto, quando afinal, mais de um ano depois, o Fin regressou à vida e disse que iria finalmente enviar os anéis para os investidores. O Fin mudou de nome e agora chama-se Neyya, mas o problema é que nada tem a ver com o anel originalmente prometido.



Em vez do anel futurista que permitiria reconhecer gestos, temos afinal um mini trackpad portátil bluetooth agarrado a um anel; com um design que poucos (ninguém?) terão coragem de usar na rua. Em vez dos gestos feitos com os dedos ou movimento das mãos, limitamos-nos a ter gestos feitos no trackpad, para uma meia dúzia de funções que nada de inovador têm face a outros comandos bluetooth (volume, play, pause, cancelar/atender chamada, etc.)


Neste caso, servirá para relembrar que nisto dos projectos de crowdfunding, não só há o risco de não se receber nada... como também há o risco daquilo que for feito nada ter a ver com o que tinha sido inicialmente prometido.


P.S. - Não digo que este Neyya não seja interessante; poderá muito bem haver quem desejasse uma coisa deste tipo. É apenas a questão do produto final pouco ter a ver com a promessa original, o que causa esta sensação de desilusão.

1 comentário:

  1. Projectos de crowdfunding tornaram-se um verdadeiro conto do vigário. Os poucos que realmente funcionam são a excepção perante às centenas que são desilusões ou puras fraudes.

    ResponderEliminar

[pub]