2015/12/08

A importância da velocidade orbital


No outro dia falamos das dificuldades de chegar ao espaço, mas na verdade chegar ao espaço não é assim tão difícil, o difícil é chegar ao espaço e ficar por lá - e daí a importância da velocidade orbital.

Quando se fala do espaço, a maioria das pessoas imagina algo que fica "lá muito em cima", mal sabendo que o espaço está bem mais perto do que se imagina. O espaço está apenas a 100Km de altura, o que é um valor idêntico a ir do Porto a Coimbra, ou de Lisboa a Torres Novas. O problema é que mesmo a essa distância, a força da atracção gravítica é cerca de 90% daquela que sentimos no solo, o que significa que um objecto imóvel a essa altitude irá "cair como uma pedra"!

Como é então que algo como a estação espacial ou qualquer objecto nas chamada órbitas baixas, se mantém em órbita? E o truque é simples... dando-lhe velocidade... muita velocidade! Na verdade, precisamos de atingir cerca de 8Km/s para que a velocidade de um objecto em órbita compense a força gravítica, ficando num estado de "queda permanente" em redor do nosso planeta. É para atingir essa velocidade que os foguetes gastam a maior parte da sua energia e necessitam de todas aquelas toneladas de combustível, sendo que se fosse apenas para atingirem os 100Km de altura, poderiam ter uma fracção do seu tamanho (mas claro... depois comprovariam a velha máxima "tudo o que sobe, tem que descer".)


O nosso adorado XKCD explica tudo isto de forma exemplar, e com ainda mais algumas das suas fantásticas ilustrações. Pelo que não deixem de lá dar um salto para ficarem com uma noção do que é viajar a 8Km/s e finalizar com um excelente pedaço de cultura (não) geral geek. :)

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]