2018/03/06

Actualizações de segurança em Android têm que aprender com o iOS

As actualizações (ou falta delas) são um dos grandes problemas da plataforma Android, mas felizmente há marcas que começam a demarcar-se e a fazer uma forte aposta nesse factor.


Quando se trata de segurança, não há volta a dar. Tudo e todos devem efectuar esforços no sentido de minimizar as falhas de segurança. Para esse efeito a Google criou os security patches mensais, mas nem todas as marcas acompanham estas actualizações, levando "eternidades" a actualizar os seus equipamentos... isto quando o chegam a fazer, o que nem sempre se verifica.

No relatório de Fevereiro disponibilizado pela SecurityLab temos a confirmação desta situação, com um panorama constrangedor, mas também com uma boa surpresa lá pelo meio.


Sem surpresas, a Apple e o iOS são os exemplos a seguir, com as actualizações a serem disponibilizadas no próprio dia para todos os equipamentos e com um suporte garantido durante 5 anos. O Windows para smartphones também se destaca pela positiva (neste aspecto); e depois... entramos nos Android.

A Google é quem naturalmente lidera este processo - embora curiosamente seja suplantada pela Essential (que no entanto tem apenas um smartphone no mercado) - embora o resultado seja penalizado pelo atraso causado pelos fabricantes (semanas) e/ou operadores (meses). A nível de prazos de suporte, os 2 anos deixam também a desejar face aos 3 anos do Windows e 5 anos do iOS.

Mas, sendo este o panorama actual do Android, quem surge em posição de destaque e confirmando o bom trabalho que tem sido feito, é a Nokia (HMD) que consegue bater os restantes fabricantes (Sony, Huawei, Samsung, Asus, etc.) Além de ter garantido a actualização para o Android 8 Oreo e ainda para o Android P a ser lançado em 2019, a Nokia vai também disponibilizando as actualizações de segurança a cada mês, o que é digno de registo e um exemplo a ser seguido pela outras marcas.

Tendo em conta que a HMD apresentou em Barcelona três novos smartphones a correr Android One e um outro com Android Go, esta situação das actualizações só terá tendência para melhorar (e de aqui em diante também se deverão começar a fazer notas as vantagens proporcionadas pelo Project Treble para agilizar as actualizações sem as demoras dos fabricantes e operadores). Ainda assim, para este ano de 2018, os smartphones da Nokia serão os melhores candidatos para quem gostar de Androids com sistema de origem e com actualizações regulares... e quiser maior variedade de escolha (e preços) que os disponibilizados pelos Pixel da Google.

5 comentários:

  1. Andorinha Go é um bom sistema operativo ;-)

    O Pixel entretanto supostamente aumentou o suporte de 2 para 3 anos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehehehehe, provavelmente bem mais actualizado com as migrações das aves :)

      Eliminar
  2. A Google ainda suporta dispositivos Nexus por isso o nr. de anos de suporte é bem superior, o que foi dito sobre o Android One é que pelo menos haveriam 2 anos de suporte , isso não quer ( espero eu ) di9zer que os equipamentos não possam receber mais que 2 versões do SO

    ResponderEliminar
  3. Há aqui pormenores nesta noticia que eu sinceramente não compreendo. Onde é que neste estudo diz que um simples carácter indiano consegue congelar um iPhone? Onde é que neste estudo diz que a Apple deliberadamente e através do iOS meteu iPhones mais lentos sem consentimento dos seus proprietários?
    Agora, não se pode comparar um "SO" que é de uma marca e usado só por essa mesma marca e um "SO" que é utilizado por milhares de marcas, embora este ultimo no aspecto da segurança e das actualizações esteja casa vez mais perto do primeiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Virgilio, uma coisa não invalida a outra...

      Quando um bug aparece no iOS, ao ser corrigido a correcção fica disponível para todos os milhoes de iPhoens no mundo no próprio dia.

      Quando um bug aparece no Android, ao fim de uma semana tens a correcção nos Pixels; depois mais umas semanas para os fabricantes que se portarem bem; mais uns meses para os que se portarem menos bem; e "nunca" para a maior parte dos equipamentos no mercado. (Isto para as coisas que a Google não consegue desenrascar através do Google Play Services, que já foi solução de recurso para ir mantendo actualizados dispositivos que nunca vão ter actualizações do fabricante, para evitar situações ainda mais complicadas na plataforma).

      É assim tão complicado reconhecer que é uma área em que o Android tem que melhorar?

      Eliminar

[pub]