2018/03/08

Apple pode abandonar ecrã recortado nos iPhones já em 2019


O ecrã recortado tem sido a imagem de marca do iPhone X, e que este ano deverá expandir-se a uma família mais alargada de iPhones, mas isto poderá mudar já no próximo ano, com a adopção de um ecrã total e sem recorte.

Numa altura em que muitos fabricantes de smartphones vão adoptando ecrãs recortados só por ser "moda" (mantendo margens generosas num dos lados do ecrã que poderiam ter sido usados para colocar os sensores e câmara frontal), chega um relato que nos relembra que este recorte é apenas um compromisso técnico do qual a Apple se quer livrar o mais rapidamente possível.

Segundo uma notícia do site sul-coreano ETNews, citando "fontes na indústria", a Apple está a trabalhar no sentido de criar um ecrã que permita ter um iPhone com ecrã a 100% sem necessidade de recortes. Não que isso seja novidade... pois é esse o objectivo de todos os fabricantes.

O ecrã recortado foi apenas a solução técnica possível neste momento para o objectivo de ter a maior área de ecrã possível, mas sendo necessário ter uma série de sensores e câmaras frontais que não se podiam colocar em mais lado nenhum. Para o futuro, temos visto propostas que escondem a câmara frontal num módulo "pop-up" que saia de baixo do ecrã quando necessário, mas isso não funcionaria para um sistema como FaceID da Apple, que terá que estar permanentemente disponível.

Esperemos que a solução que a Apple esteja a considerar seja esconder as câmaras e sensores frontais atrás do próprio ecrã, que poderia ser um AMOLED com aquela secção transparente, e que tiraria partido da elevada velocidade de resposta para continuar a apresentar uma imagem mas "apagando-se" por fracções imperceptíveis de tempo para ficar transparente e permitir o uso da câmara frontal e demais sensores...

É tecnologia cujas bases já existem neste momento... mas falta saber se estará em condições de permitir este tipo de utilização, e ser produzida em grande volume, já no próximo ano. Sinceramente, penso que não... mas a Apple já nos surpreendeu no passado, quando lançou os ecrãs "retina" numa altura em que se pensava que a tecnologia para tal só estaria pronta um ou dois anos mais tarde.

1 comentário:

  1. Ainda bem...Pode ser que assim deixem de copiar por copiar... É só ridículo! E ver marcas como a huawei a fazer isto é degradante.

    Não há ninguém com cabeça nestas grandes empresas?

    ResponderEliminar

[pub]