2019/02/15

Carlton Dance sem direito a copyright


O sucesso do jogo Fortnite tem dado também origem a várias polémicas referentes aos seus movimentos de dança "roubados", mas a editora Take Two acaba de receber boas notícias, com a recusa do pedido de registo dos movimentos de dança "Carlton Dance".

A chamada Carlton Dance, criada por Alfonso Ribeiro nos seus tempos do "Príncipe de Bel-Air" (com o nosso bem conhecido Will Smith) é uma das danças disponíveis no Fortnite, e que também tem originado muita discórdia. O actor avançou com um pedido de registo dos seus movimentos de dança, mas o U.S. Copyright Office acha que estes movimentos de dança não são suficientes para merecerem a protecção dos direitos de autor.


Uma especialista na matéria diz que estes movimentos são demasiado simples para poderem ser considerados uma "coreografia"; e adicionalmente, é também relembrado que o actor não poderá pedir os direitos sobre estes movimentos, uma vez que foram originalmente feitos na série de TV, e consequentemente, tudo o que lá aparecesse pertenceria em primeiro lugar à NBC.

Seguramente que o assunto não irá ficar por aqui e ainda iremos ouvir muito sobre estes litígios da apropriação de movimentos "famosos". Mas não deixa de ser curioso que de um lado do Atlântico se esteja a dizer que um conjunto de movimento simples nem sequer poderá ser registado, e por cá se esteja em risco de começar a exigir o pagamento de licenças para apresentar um pequeno resumo a acompanhar um link para um site de notícias.

4 comentários:

  1. "Uma especialista na matéria diz que estes movimentos são demasiado simples para poderem ser considerados uma "coreografia""

    E no entanto é facilmente identificável e única, o que completamente contraria a o que ela disse nessa frase.

    Mesmo que fosse dele e não da série, estou completamente contra poderem fazer copyright duma porcaria dessas, mesmo não gostando do jogo porque isso não tem nada a ver com o assunto. Agora dizer o que ela disse, lol. Acho que de especialista tem pouco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acho que contrarie. Ser única e identificável não invalida ser algo simples em termos de movimentos de dança.
      Fazer um gesto de saudação à Spock é identificável e único, e basta abrir os dedos. :)

      Eliminar
    2. Mas o facto de ser único e identificável faz com que algo seja valido para registo de direitos.

      E mesmo que não fosse, isso que ela disse é literalmente uma opinião, basta ir ver a definição de coreografia para ver que o quão simples a dança é, é irrelevante.

      "choreography
      /ˌkɒrɪˈɒɡrəfi/
      noun
      noun: choreography; plural noun: choreographies

      the sequence of steps and movements in dance or figure skating, especially in a ballet or other staged dance"

      Logo aí a teoria dela foi à vida.

      O teu exemplo no entanto não funciona, um gesto não é algo que pode se quer ter direitos de autor, uma dança é.

      Eliminar
    3. Já agora esqueci-me de dizer, direitos de autor são atribuídos também a cenas criadas por personagens fictícias (o que também encaixa neste caso) e uma das coisas que tem de se ter para algo estar elegível a direitos de autor é ser original, coisa que essa dança também é.

      Tipo nem tem hipótese nenhuma, essa gaja não entende nada do assunto, só tem sorte que a única pessoa interessada neste assunto em particular é alguém que não tem direito a esses direitos de autor pois eles pertencem à NBC.

      Eliminar

[pub]