2019/04/02

Google+ chega ao fim


Chega finalmente o dia em que a Google começa a apagar o embaraçoso Google+, procurando esquecê-lo o mais rapidamente possível.

Antecipando o encerramento do Google+ que inicialmente tinha sido agendado para o Verão devido a mais uma falha de segurança, a Google passou os últimos meses em esforços redobrados para ir removendo o Google+ de todos os serviços onde se tinha infiltrado - isto, por culpa da aposta que tinha feito, de que o Google+ seria o seu "futuro".

Pelo caminho ficaram todos os que tinham acreditado nessa aposta, como os utilizadores do Blogger que tinham adoptado o sistema de comentários do Google+, como incentivado pela Google; e que agora desaparece, levando consigo anos de comentários. Para não falar de todos os sistemas associados aos perfis no Google+, que seguramente ainda irão dar dores de cabeça ao longo dos próximos tempos à medida que se forem descobrindo ligações que vão deixando de funcionar.

Mas nem tudo foi mau, já que graças ao Google+ nasceram produtos como o Hangouts e o Google Photos, que felizmente cresceram ao ponto de se tornarem produtos independentes de grande sucesso e que (ainda?) vão resistindo. Quanto ao Google+ (onde incrivelmente, mesmo nos últimos dias, continuaram a surgir pessoas interessadas em "aderir" às nossas páginas) o seu destino há muito que estava traçado - arriscando-me a dizer que assim ficou desde que a Google tentou forçar os utilizadores a utilizarem-no, quer quisessem quer não. As últimas estatísticas da Google diziam que 90% das pessoas que visitavam o Google+ apenas permaneciam no site durante 5 segundos (para comparação, cada visita ao Facebook dura 20 minutos em média), e perante esses dados concretos não há fantasia que se aguente.

O Google+ começa a desaparecer hoje, mas ainda se irá manter durante mais algum tempo para utilização empresarial, com prometidas alterações que o tornem mais vocacionado para trabalho colaborativo em equipas.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]