2019/07/22

Tinder tenta escapar à comissão dos pagamentos da Google


O Tinder é o mais recente serviço a tentar esquivar-se à comissão da Google na sua app Android, sugerindo uma forma de pagamento directo.

A comissão de 30% cobrada pela Google tem sido alvo de críticas, especialmente por quem disponibiliza subscrições, e agora também o Tinder faz algo quanto a isso na sua app Android. Em vez de se limitar a disponibilizar o método de pagamento via Google Play, o Tinder passou a apresentar um método de pagamento gerido por si, com o utilizador a ter que introduzir os dados do seu cartão de crédito.


Embora numa primeira fase a app ainda apresenta a forma de pagamento via Google Play, caso o utilizador introduza os dados do cartão de crédito essa modalidade desaparece por completo.

A Google já tentou apaziguar os developers baixando a comissão de 30% para 15% nas subscrições após um ano. Ainda assim, para grande empresas, mesmo esses 15% representarão muitos milhões de euros "desperdiçados" face ao pouco trabalho adicional que terão de implementar um sistema de pagamento próprio, pagando taxas muito mais reduzidas.

O problema é que, tirando algumas poucas excepções, as condições da Google exigem que as apps na Play Store têm que utilizar os métodos de pagamento com a comissão da Google, e a app do Tinder está a por isso à prova. Outros casos, como as apps da Netflix e Spotify, simplesmente removeram a facilidade de pagar via app, redireccionado os utilizadores para os seus sites para fazerem a subscrição e pagamentos. Eventualmente, também terá isso que o Tinder terá que fazer... a não ser que a Google queira arriscar-se que a prática comece a alastrar a muitas outras apps.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]