2019/11/09

Como funciona a imunidade de grupo


A vacinação proporcionou uma autêntica revolução em termos de saúde pública nas últimas décadas, e protege não só os que são vacinados como também aqueles que não são - desde que haja um número suficiente de pessoas vacinadas.

É absurdo ver os movimentos "anti-vacinas", que parecem ter memória curta dos múltiplos flagelos que atormentaram miúdos e graúdos durante séculos. Mas mais importante é perceber que, com cada pessoa que deixa de ser vacinada, se põe em risco muitas mais pessoas, devido ao que é conhecido como "imunidade de grupo".

No caso de uma população não vacinada, uma doença contagiosa espalhar-se-á com facilidade, afectando todos (menos alguns poucos que sejam naturalmente imunes). No caso de uma população parcialmente vacinada, teremos uma situação idêntica, apenas com um aumento do número de pessoas que não ficará doente (as que foram vacinadas). Mas, quando temos uma população quase totalmente vacinada, verifica-se o tal efeito, em que as pessoas vacinadas servem como barreiras que impedem que um pessoa doente espalhe o contágio.


O seguinte vídeo mostra o fenómeno de forma mais visual, demonstrando o efeito de contágio em cenários onde temos diferentes percentagens de população imune (vacinada). A percentagem necessária para esta protecção de grupo é também dependente do nível de contágio da doença. Uma doença pouco contagiosa poderá deixar de ser um problema desde que haja cerca de 60% da população vacinada, mas no caso de doenças altamente contagiosas, como o sarampo, é necessário que cerca de 95% da população esteja vacinada.

7 comentários:

  1. Enquanto profissional de saúde, agradeço ao Carlos Martins por utilizar esta plataforma para combater a ignorância e a desinformação. Bem haja!

    ResponderEliminar
  2. Excelente explicação e vídeo, só não compreende quem não quiser.

    ResponderEliminar
  3. eu ia fazer uma piada irónica mas provavelmente os antivacinas iam pensar que eu estava a falar a serio.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Lol!!! Deves ser daqueles que pensa que a terra é plana.
    Ninguem diz que as vacinas sao perfeitas mas sao de longe mais os pros que os contras. E nao ha estudo cientifico feito como deve ser que prove o contrario. O seu tio nao vacina os filhos pk sabe que os outros pais vacinam os seus filhos o que protege as outras pessoas nao vacinadas.quem nao vacina os filhos sao pessoas que so pensao neles proprios e no bem dos seus e esta se a cagar com o resto das pessoas a sua volta. Se a moda de nao vacinar pega so tenho pena das criancas que nao tem culpa da treta de pais que tem.

    ResponderEliminar
  7. É inacreditável como é que a ignorância tenta permanecer enraizada nas pessoas, há mesmo algumas que adoram ser ignorantes, penso que é mesmo um fator ligado há personalidade, eu lamento que essas pessoas ( algumas delas ) contribuam tão negativamente para a sociedade com atitudes inusitadas e completamente egocêntricas, com tanta informação a circular por aí e de qualidade não se compreende esta ignorância chapada.

    Muito obrigado Carlos por nos trazeres um artigo com informações muito valiosas como estas.

    Um bem haja.

    ResponderEliminar

[pub]