2020/02/12

EUA acusam Huawei de ter backdoors para espiar comunicações


Os EUA continuam com a sua campanha anti-Huawei, agora reforçando as acusações de que a empresa chinesa tem backdoors que lhe permitem espiar as comunicações que passarem pelos seus equipamentos, mas sem avançar com provas concretas.

Continuando a passar ao lado da questão essencial - de que, independentemente do fabricante do equipamento, se deverão implementar as devidas medidas de segurança que permitam detectar comportamentos anómalos e impedir acessos indevidos - os EUA vão apenas repetindo insistentemente que a Huawei anda a espiar as comunicações mundiais. Um alerta que não deixa de parecer uma simples campanha de desinformação, vinda de um país que durante décadas esteve a espiar praticamente todo o mundo (e que seguramente o continuará a fazer de todas as formas que puder).

Precisamente por isso, talvez não seja do seu interesse abordar a questão da segurança pela vertente de neutralizar esse tipo de acessos indevidos, e em vez disso continuar a pintar a imagem da Huawei como o inimigo a abater.

Aliás, torna-se ridículo que a "solução" que já vai sendo avançada pelos EUA é a de eventualmente comprarem em empresas como a Nokia e a Ericsson, para que garantissem que esses equipamentos seriam seguros - talvez esperando que todos os seus aliados sofram de amnésia colectiva e se esqueçam do que se passou com a Crypto AG.

É triste vivermos num mundo em que as escolhas se resumam a ser mais espiado por uns ou por outros, e onde a única solução será apostar cada vez mais em sistemas de encriptação open-source e end-to-end, que garantam a privacidade dos cidadãos e utilizadores independentemente de quem os puder estar a espiar. Mas infelizmente, parece ser essa a realidade, e a única parte positiva é que isso inevitavelmente irá fomentar o desenvolvimento e adopção dos ditos sistemas.


Actualização: A Huawei já "contra-atacou".

5 comentários:

  1. Triste mas verdade, nao posso deixar de concordar contigo.

    ResponderEliminar
  2. Não passa de um guerra comercial.

    ResponderEliminar
  3. Considerando que todas estas tecnologias são originarias nas sua maioria, nos Estados Unidos da América, é no mínimo vergonhoso verificar que os próprios Estados Unidos da América afirmam que aquilo que eles próprios criaram não é coisa boa ou é coisa mal projetada...

    Não há pachorra para aguentar esta novela.

    Na verdade, são sinais dos tempos: a globalização não vê grandes eficiências na existência de países ou nações, pelo que, o curso natural das coisas será o de verificar que os países e as nações serão cada vez mais um empecilho para a felicidade geral da humanidade.

    Portanto, mais do que uma "guerra comercial" isto não passa de uma "guerra de egos"...

    Como uma espécie de comparação para verificar quem tem o orgão sexual mais comprido...

    ResponderEliminar
  4. o link para a notícia de resposta da huawei ... não está ok...

    "A página a que está a tentar aceder não foi encontrada. Será certamente uma página que está "fechada até de madrugada"! :)"

    ResponderEliminar

[pub]