2020/07/29

À conversa com a autora do livro "Exercícios de Power BI" da FCA


A FCA deu-nos a oportunidade de conversar um pouco com alguns dos seus autores, e desta vez a escolhida para a rubrica "À conversa com" foi Adelaide Carvalho - autora do livro "Exercícios de Power BI - Importação, edição e visualização de dados".


1. O que é o Power BI e por que razão é considerado um software mais avançado no tratamento e manipulação de dados?

Segundo a sua criadora - a Microsoft - o Power BI é o software que transforma dados em decisões empresariais inteligentes. A ideia subjacente ao Power BI é ligar todos os dados independentemente da aplicação de software que os originou ou do local do seu armazenamento, para produzir relatórios interativos de apoio à decisão. O Power Bi reúne, na mesma base, dados provenientes de diversas aplicações e facilita ou sugere os relacionamentos entre eles com vista à elaboração de relatórios interativos que ajudam a responder às perguntas do decisor. O decisor pode interagir com os relatórios filtrando os dados, detalhando-os ou agregando-os de modo a responder às perguntas levantadas durante os processos de decisão. À medida que lê os relatórios, o decisor vai, portanto, visualizando os dados que respondem às perguntas que fundamentarão a tomada de decisão. O Power Bi permite-lhe, inclusive, fazer perguntas sobre os dados do relatório, usando uma linguagem muito próxima da que correntemente fala.
Na minha opinião, trata-se de uma poderosa ferramenta de interligação de dados de origem diversa que dispõe de funcionalidades que facilitam muitíssimo a depuração e a organização de dados com base no modelo relacional e na atualização de dados. Sobre estas funcionalidades, assentam outras que permitem o tratamento analítico e gráfico dos dados e, finalmente, outras de visualização interativa de dados. Por outro lado, trata-se de uma ferramenta colaborativa em que a partilha, a manipulação conjunta e a comunicação de dados são privilegiadas.

2. O Power BI é simples para a análise dos dados de pequenos problemas, mas pode também aplicar-se a projetos maiores em dimensão e complexidade. Como personalizar o Power BI às necessidades específicas de problemas maiores e mais complexos?

O Power BI é uma aplicação de software genérico que visa automatizar os procedimentos de importação, limpeza, organização e atualização de dados sempre guiada pelo modelo relacional de bases de dados. Numa primeira abordagem, o utilizador lida com esta aplicação genérica que tem a vantagem de seguir a filosofia de utilização “drag and drop” que é muito intuitiva e, portanto, permite uma familiarização muito rápida no início.
O utilizador nota de imediato a vantagem de desenvolver o tratamento de dados por camadas de procedimentos que o Power BI guarda em sequência cronológica, mas a que o utilizador pode aceder diretamente para eliminar, alterar, reutilizar camadas e assim refazer soluções com vista a cenários alternativos. Podemos dizer que, neste ponto, inicia-se a análise à medida dos objetivos. A recombinação de procedimentos de tratamento dos dados mostra-os sob perspetivas diferentes.

Por outro lado, o utilizador nota quase de imediato que se trata de software leve (lightweight) em termos de utilização de recursos computacionais, nomeadamente memória e CPU. Daí que trazer gradualmente para os problemas em análise mais dados e mais relacionamentos entre eles vai enriquecer os modelos e as soluções sem repercussões dramáticas no tempo e velocidade de processamento. A dimensão e a complexidade dos problemas em análise vai crescendo e, quando for necessário, podemos adquirir licenças de Power BI Pro ou Power BI Premium e mesmo integrar o Power BI em plataformas de dados baseadas na Nuvem, por exemplo, o Snowflake.

3. Atendendo ao ditado que outrora alguém referiu, “uma imagem vale mais que mil palavras”, e que tem um impacto bastante relevante nas diversas áreas de negócio, de que forma o Power BI vem reforçar essa máxima? Com que funcionalidades?

O objetivo final do Power BI é a construção de relatórios que sejam facilitadores da tomada de decisão. Para tal concorrem as funcionalidades de representação tabular e gráfica de dados. O Power BI permite a instanciação de vários objetos visuais, incluindo gráficos quer os comuns – linhas, barras, sectores bolhas, histogramas etc., - quer os mais recentes - funil, cascata, friso, mapas, medidores, cartões com índices de desempenho (KPI), etc. A construção de gráficos e tabelas não só é muito intuitiva por seguir a utilização drag and drop para selecionar os dados, mas também os formatos disponíveis são apelativos e variados. Mas, o mais interessante talvez seja mesmo podermos interrogar estas tabelas e gráficos em linguagem natural - próxima do inglês - para além de podermos sempre interactivamente segmentar dados, agregá-los ou desagregá-los. É também muito interessante podermos preparar, numa filosofia de realidade aumentada, informação sobre cada ponto representado graficamente que só se torna visível quando passamos com o rato sobre ele.

4. A quem se destina este processo de aprendizagem e a resolução dos exercícios que disponibiliza no seu novo livro “Exercícios de Power BI – Importação, Edição e Visualização de Dados”?

Este livro destina-se a professores e estudantes dos cursos do ensino superior em que os sistemas de informação e a modelação de dados integram os pilares básicos do saber. Porém, o seu interesse estende-se a todos os profissionais que pretendem libertar-se das tarefas morosas de importação, limpeza e organização de dados para que possam dedicar mais tempo e atenção à análise dos dados sob diversas perspetivas e à sua transformação em informação para decisões bem fundamentadas. Os exercícios apresentados nesta obra incidem sobre as funcionalidades principais do Power BI e constituem uma infraestrutura sólida para aperfeiçoamento individual posterior.

5. A Dra. Adelaide tem tido uma grande influência na organização e magistério de múltiplos cursos de aplicação da informática à Economia e à Gestão, tanto em Portugal como no mundo. Na sua opinião, esta incessante procura de conteúdos relacionada à aplicação e ligação de novos softwares ao mundo dos negócios, faz cada vez mais sentido?

Julgo que faz todo o sentido desenvolver-se software para Economia e Gestão cada vez com mais potencialidades para tratar muitos dados – Big Data – e permitirem a extração da informação necessária tomando o tempo na sua natureza contínua ou forçando paragens em marcos temporais importantes. O mundo económico, sobretudo o empresarial, é crescentemente complexo, essencialmente porque há cada vez mais entidades que se interrelacionam. Adicionalmente, a importância crescente da rapidez com que se tomam decisões torna o mundo dos dados mais complexo com exigências em processamentos em tempo real ou até de antecipação de visões futuras quase exatas. Assim, é racional procurarem-se aplicações mais funcionais, mais integráveis e mais adaptativas que facilitem o trabalho colaborativo entre todos os stakeholders do mundo económico, sobretudo o empresarial.
O Power BI está nesta senda uma vez que se encontra ainda em fase de desenvolvimento sob a égide da estreita colaboração entre a Microsoft e os utilizadores.

E é tudo, o nosso obrigado pelo tempo dispensado, e ficamos aguardar pelos seus próximos livros. :)


Sobre a autora:

Adelaide Carvalho (PhD, MSc, Lic.) - Docente, desde 1983, em diversos estabelecimentos de ensino superior. Organizou e ministrou, desde 1991 até ao presente, vários cursos de aplicação da Informática à Economia e à Gestão em Portugal, Grécia, Finlândia, Moçambique, Macau e Timor-Leste. Autora de vários livros publicados pela FCA.



Para quem chegou até aqui, temos uma surpresa. Temos para oferecer dois exemplares do livro "Exercícios de Power BI - Importação, edição e visualização de dados" e para te habilitares a ganhar um deles só tens que participar preenchendo o seguinte formulário:





2 comentários:

  1. "software leve (lightweight) em termos de utilização de recursos computacionais..." não deve estar a falar do mesmo PowerBI que uso e que esgota os recursos do meu portatil (8GB RAM e com SSD).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa, no meu com 32Gb de RAM também consigo esgotar a memoria em algumas visualizações :)

      Eliminar

[pub]