2020/09/13

Google quer separar Chrome do Chrome OS

No início do ano a Google já tinha dito que planeava alterar a forma como fazia as actualizações do Chrome no Chrome OS, e agora isso já começa a fazer-se notar.

Uma das grandes vantagens do Chrome OS, de ser um browser transformado em sistema operativo, é também uma das suas maiores desvantagens - já que se tratam de máquinas com prazo de validade, terminando o seu tempo de vida assim que terminar o seu período de actualizações do sistema, que os deixam com versões antiquadas e vulneráveis do Chrome. Mas a Google está a tratar de mudar isso.

Com o Lacros a Google quer transformar o Chrome OS em algo mais próximo de um Linux com Chrome instalado separadamente. Ou seja, em vez do Chrome ficar preso às actualizações de sistema, poderemos ter um Chrome que continua a ser actualizado de forma independente, mesmo depois de o sistema poder deixar de contar com actualizações.


É uma situação que ainda está em fase de desenvolvimento e que deverá demorar muitos mais meses até estar pronta para consumo público, mas que se revela de importância crítica para a longevidade do Chrome OS. Tal como está, os computadores com Chrome OS serão apenas atractivos para os utilizadores que ainda não se viram na situação de chegarem ao fim do tal prazo, e descobrirem que ficam com um computador com hardware capaz que ficará encostado unicamente por falta de software actualizado - algo que não aconteceria num computador tradicional, onde poderiam continuar a instalar outros sistemas operativos e browsers à escolha.

Esperemos que em 2021 o Chrome OS já venha com este novo sistema e faça esquecer a "data de validade".

2 comentários:

  1. Uma dúvida: no final do tal prazo não é possível, por exemplo, instalar um Linux?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É possível, mas muitas vezes resulta em coisas mal suportadas, sem reconhecer o hardware completamente (na altura em que explorei isso para um Pixel, a coisa não andava em nivel satisfatório).

      Eliminar

[pub]