2021/02/17

Bloomberg volta a acusar China de chips espião infiltrados nas motherboards

Após mais de dois anos, a Bloomberg volta a recuperar a história de que a China anda a instalar chips espião secretos nas motherboards de empresas norte-americanas que usam linhas de produção chinesas.

O caso remonta a Outubro de 2018, com a Bloomberg a fazer um artigo polémico recheado de ficção científica de chips chineses adicionados secretamente em motherboards da Supermicro, que foi prontamente negado por todas as empresas que referiu, e até com várias das suas supostas "fontes" a esclarecerem de imediato que a Bloomberg tinha descontextualizado tudo o que tinham dito. Mas em vez de se retratar, ou de mostrar as provas que comprovassem aquilo que dizia, a Bloomberg optou por se enterrar ainda mais, com ainda mais acusações de chips secretos.

Desde então a Bloomberg tem-se mantido em silêncio, ignorando por completo todos aqueles que pediam esclarecimentos quanto à notícia, e no processo tendo também perdido toda a credibilidade junto da comunidade de InfoSec. Seria simples para a Bloomerg admitir que tudo não tinha passado de um mal-entendido, tratando cenários teóricos de potenciais ataques (que até à data não foram detectados - pelo contrário - sendo desmentidos por empresas como a Amazon, Apple, Supermicro, que tinham sido mencionadas pela Bloomberg) como sendo realidade. E agora, volta a cometer exactamente o mesmo erro.

Temos nova ronda de acusações, com manobras duvidosas entre fontes e supostas fontes, que não parecem resistir a qualquer análise mais cuidada:


Quando se insiste numa história que é desmentida pelas fontes referidas, por entidades como o FBI, NSA e DHS - e de forma inequivocamente clara, em vez dos frequentes e genéricos "não podemos confirmar nem negar" - parece-me que só há uma coisa a fazer: ou a Bloomberg mostra os seus trunfos (leia-se: provas do que diz), ou a credibilidade de tudo aquilo que escreve será penalizada.

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]