2021/02/08

Intel apresenta benchmarks anti M1 da Apple

Depois de aparentemente ter sido apanhada de surpresa pelo M1 da Apple, a Intel tenta demonstrar que ainda tem pernas para andar, apresentando uma série de benchmarks - cuidadosamente seleccionados - para ficar bem vista face ao chip da Apple.

A Intel apresenta uma série de benchmarks que, como seria de esperar, mostram os seus CPUs a obterem melhores resultados que o M1 da Apple, e nem sequer perdendo a oportunidade para referir que certos jogos não estão disponíveis para as máquinas da Apple.

Por outro lado, é notória (mas não surpreendente) que a Intel tenha escolhido cuidadosamente o que testar, e como testar. Como o facto de nuns testes usar o MacBook Pro e um Core i7-1185G7 como referência, mas depois para o teste de autonomia mudar para um MacBook Air e um Intel Core i7-1165G7 mais poupado, para conseguir obter um resultado próximo do computador da Apple - sendo que se tivesse mantido o MacBook Pro, este teria obtido mais algumas horas de autonomia que um portátil Intel equivalente.
Há outras críticas que a Intel faz e que são verdadeiramente legítimas e relevantes, como a limitação da quantidade e tipo de portas disponíveis nos Macs M1 face às máquinas Intel, mas quanto aos benchmarks, enquanto a Intel vai perdendo tempo a seleccionar benchmarks por forma a manter as aparências, a Apple prepara seguramente a próxima geração de chips ARM para os seus Macs, e que começará a por em causa até os CPUs topo de gama da Intel - e depois não haverá selecção possível de benchmarks que a Intel possa usar.

9 comentários:

  1. Estes benchmarks foram escolhidos a dedo, mas é de salientar que este chip de 10nm é claramente superior ao de 14nm. Sendo que Apple M1 é feito a 5nm pela TSMC, penso que estes dados suportam a ideia que grande parte da performance e consumo do chip da Apple é graças ao processo de fabrico. Acredito que quando Intel/AMD tiverem chips x86 a 5nm, a diferença para o Apple M1 vai ser quase nula.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem haver (somente) com o processo de fabrico. A arquitectura ARM é completamente diferente da X86, e embora a Intel tenha tentado acompanhar (por exemplo, incluindo núcleos diferenciados para tarefas de baixo consumo ou de alto desempenho), continua a sofrer com o peso de manter quase meio-século de retrocompatibilidade. A arquitectura ARM começou por ser bastante mais simples, mas a sua principal vantagem é mesmo em termos de eficiência do que pode fazer face à energia que consome. O M1 é a demonstração disso mesmo, e mais serão as próximas gerações.

      Eliminar
    2. Essa diferença não é assim tão linear e a linha que separa RISC e CISC é mais ténue do que se pensa, agora mais do que nunca. Mas veremos quando Intel/AMD tiverem um chip x86 a 5nm.

      Eliminar
  2. Independentemente das parcerias, tecnologias ou arquitecturas, tudo se resume à ultima frase: "enquanto a Intel vai perdendo tempo a seleccionar benchmarks por forma a manter as aparências, a Apple prepara seguramente a próxima geração de chips ARM para os seus Macs".
    Não sou cliente Apple, mas colocar um Chip no mercado em tão pouco tempo é obra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi em pouco tempo. Há que ter em conta toda a evolução desde o início do desenvolvimento dos iPhone. Começando por usar chips de outros fornecedores, começando a investir na sua modificação, até depois começar a criar os seus próprios chips, focando-se na sinergia entre hardware à medida do software e vice-versa. Portanto, este M1 acaba por ser o fruto de mais de uma década de trabalho.

      Eliminar
    2. Nos dias actuais, uma década até parece muito tempo. Mas desenvolver um produto desta complexidade e conseguir comercializar, dez anos até parece pouco. Podemos comparar com a outra empresa do texto. A tecnologia actual de 14nm foi apresentada em 2014.

      Eliminar
  3. Os botões de partilhar a notícia desapareceram,,, pelo menos no Chromem no Edge estão no mesmo sitio. Alguém mais com este problema no AaDM/Chrome ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, começou a acontecer há dias. Ou o FB ou o Chrome fizeram alguma alteração, do que vejo está tudo como devia estar... :(

      Para partilhar podes usar o botão do FB via widget no final do post.

      Eliminar
  4. Esta é só a primeira geração do M1... as próximas vão ser ainda melhores. Esta é uma revolução tecnológica.

    ResponderEliminar

[pub]