2021/11/29

Intel guarda hardware ultrapassado para testes de segurança

A Intel está a expandir o armazém "secreto" onde guardar hardware obsoleto, para efeitos de testes de segurança.

A informática avança a tal velocidade que nem sempre é fácil acompanhar. Quantos upgrades se transformaram na compra de um computador completamente novo, porque se descobre que o novo CPU precisa de um novo socket e chipset, ou que as memórias passaram de DDR3 para DDR4 (e agora estão a mudar para DDR5), ou que a fonte de alimentação não tem fichas que agora são necessárias para as novas placas gráficas? É um problema que não afecta só pequenas empresas e consumidores, também afecta um dos maiores gigantes da indústria: a Intel.

A Intel está a reforçar o seu armazém de material obsoleto, por se deparar com o mesmo tipo de dificuldade.
Não faltam relatórios sobre vulnerabilidades encontradas em produtos Intel, e muitas vezes essas vulnerabilidades prolongam-se até gerações anteriores dos chips afectados. Por diversas vezes, engenheiros da própria Intel tiveram que andaram a procurar por material com esse hardware no Ebay, ao estilo de "caça ao tesouro", para poderem efectuar os testes e validar correcções. Uma situação que está longe da ideal, e que levou ao reforço desde "museu" de peças obsoletas, que tinha cerca de 3 mil equipamentos mas será expandido para 6 mil.

Considerando a quantidade de novos produtos que são lançados a cada ano, não me admiraria se em breve este número tivesse que voltar a ser expandido. Até lá, podem sempre ter a sorte de ter alguma peça rara que a Intel ainda tenha que comprar no Ebay a peso de ouro. Posso disponibilizar o meu velhinho Core i7 970 dodecacore com memória triple-channel, que ainda funciona perfeitamente mas está com vontade de ser substituído por um Core i9 12900K! :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]