2022/08/11

Motor eléctrico DMD dispensa materiais raros e melhora eficiência

Uma empresa que já tinha optimizado os motores a combustão diz ter criado um motor eléctrico mais eficiente, e que dispensa os materiais raros.

A Tula é a empresa que criou o sistema que permite desligar alguns cilindros nos motores a combustão, para reduzir os consumos; e agora voltou a sua atenção para os motores eléctricos.

Nos motores eléctricos não temos cilindros para desligar, mas existe um (muito) complexo sistema que envolve campos magnéticos e alinhamentos, que é preciso ajustar continuamente em função da velocidade. O Dynamic Motor Drive (DMD) promete várias vantagens, a começar pela não utilização de materais raros, e também por conseguir manter o nível de binário máximo mesmo a rotações mais elevadas - que tradicionalmente é um dos problemas dos motores eléctricos (bom binário a baixas rotações, mas reduzindo-se a altas rotações).
O segredo não está tanto no hardware mas sim no sistema de controlo dos motores, que utiliza impulsos de energia em vez de fornecer electricidade continuamente. Algo que por agora resulta nume melhoria de eficiência de 3%, que parece pouco mas acaba por ser uma grande melhoria num sector onde, normalmente, os avanços são feitos em fracções de percentagem.

Se realmente for tão bom como anunciam, não irão faltar fabricantes a querer adoptar esta tecnologia; nem que seja pelo aspecto de evitarem a dependência nos materiais raros, quase todos vindos da China, e que têm sofrido aumentos substanciais de preço nos últimos tempos.


Para quem quiser explorar um pouco mais a incrível complexidade dos motores eléctricos nos automóveis, pode espreitar o seguinte vídeo sobre os motores da Tesla.


Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]