2015/12/22

Apple pede ao UK para reconsiderar leis de espionagem que deixarão milhões de utilizadores em risco


O governo de Sua Majestade parece cada vez mais empenhado em tornar realidade uma sociedade "Big Brother" como a que foi imaginada por George Orwell, e agora também a Apple se junta às vozes críticas, dizendo que as propostas de lei que estão a ser consideradas irá por em risco a segurança de centenas de milhões de pessoas com a desculpa de isso poder servir para apanhar uma dúzia delas.

No Reino Unido preparam-se propostas de lei que, por um lado, legalizam todo o hacking feito pelos seus serviços contra qualquer país do mundo; e por outro, permite obrigar qualquer empresa a instalar backdoors para acesso aos seus serviços encriptados (a Apple já tem recusado disponibilizar mensagens trocadas via iMessage dizendo que não tem forma de o fazer por estarem encriptadas - coisa que com esta lei deixaria de ser possível, obrigando a mudar o sistema de forma a permitir a leitura do seu conteúdo.)

São medidas preocupantes - e que infelizmente não se limitam apenas ao Reino Unido - e que parecem esquecer-se de que, os "terroristas" que tanto usam como desculpa para justificar estas medidas, facilmente se adaptarão e utilizarão outros métodos de comunicação, sejam eles quais forem, que lhes garanta a maior protecção possível.

Estas propostas de leis equivalem a obrigar todos os cidadãos a usarem envelopes transparentes para enviarem o seu correio, devido ao risco de alguém poder usar o serviço dos correios para enviar uma mensagem terrorista. E faz-nos pensar o que imaginarão fazer a seguir, quando descobrirem que os terroristas afinal usam mensagens codificadas dentro de fotos digitais (acabam-se com as fotos na internet?), ou usam os classificados dos jornais para trocar mensagens (acabam-se com os jornais), ou até que trocam papeis entre si na praça pública (acaba-se com a permissão para as pessoas se poderem juntar?)

... Também curioso será pensar em quais serão as desculpas que irão usar quando, conseguindo ter acesso a toda esta informação que tanto desejam, não conseguirem evitar novos ataques terroristas. Será que nessa altura alguém irá pousar os pés na terra e fazer a pergunta: mas afinal, para que serviu todos estes abusos de espionagem da vida das pessoas? Talvez para saberem os emails que o vizinho, namorada, marido ou esposa, andam a escrever; ou que mensagens mandam no Facebook e a quem?

2 comentários:

  1. O controlo absoluto faz-me lembrar o "V for Vendetta" que também se passa em Inglaterra.
    E mesmo que depois cheguem à conclusão que esta espionagem toda não teve efeito na diminuição do terrorismo, vão manter a espionagem só porque sim

    ResponderEliminar
  2. O principal desejo deles é (e sempre foi) poderem controlar-nos como querem e quando querem e estarem sempre acima da lei!

    ResponderEliminar

[pub]