2016/04/12

Investigador descobre câmaras de vigilância infectadas com malware à venda na Amazon


Como se já não fosse suficiente lidarmos com câmaras de vigilância mal configuradas ou com vulnerabilidades que permitem que qualquer pessoa na internet possa ver as suas imagens, agora temos que lidar com câmaras que já trazem malware pré-instalado.

A situação foi detectada por um investigador de segurança, que comprou um kit com 6 câmaras POE (Power-over-Ethernet) para a casa de um amigo. Ao tentar configurá-las deparou-se com alguns problemas na página web que deveria apresentar os controlos da câmara, levando-o a espreitar no código HTML para ver se descobria o que se passava; e em vez do erro básico de CSS que esperava encontrar, descobriu algo bem pior e mais preocupante.



No final da página web de controlo do sistema de câmaras estava uma estranha referência que incluía conteúdos do site "brenz.pl" que, após uma pesquisa rápida, revelou ser um endereço frequentemente associado à distribuição de malware. E com grande surpresa... a constatação de que um vendedor bem reputado na Amazon estava a vender câmaras com malware pré-instalado.

O facto do vendedor (Urban Security Group) ter boa reputação faz imaginar que isto tenha acontecido sem o seu conhecimento; e também poderá ajudar saber que o alerta já tinha sido dado anteriormente num fórum, por um utilizador que detectou a existência de uma actualização com o conteúdo malicioso. Poderá ter sido essa a via de ataque que tenha infectado estes sistemas, fazendo-se passar por uma actualização legítima (mas com o conteúdo indesejado) - sendo que o mais preocupante será imaginar que, para muitas pessoas, este tipo de infecções poderia passar completamente despercebido, pondo em risco o seu sistema de vigilância, e potencialmente toda a sua rede doméstica (ou empresarial).

Começa a ser complicado saber no que se pode confiar, mesmo quando se fazem compras de vendedores com boa reputação em sites como a Amazon. (Por este andar, começará a ser necessário adicionar uma disciplina de segurança digital ao currículo de escolaridade obrigatória!)

3 comentários:

  1. Concordo. Muito interessante. Começa a ficar cada vez mais perigoso comprar material do género online. Ou mesmo noutros sítios. Mas o pior é mesmo a incapacidade de percebermos como esses sistemas estão infectados.

    ResponderEliminar
  2. O que vale é que o pessoal não se apercebeu que a maioria dos aparelhos de gravação de video-vigilância tem tantas vulnerabilidades que é inacreditável! É que a maioria é fabricada na China onde além da incompetência já conhecida na qualidade (basta ir às lojas dos chineses para confirmar essa qualidade maravilhosa em grande parte dos artigos cof cof), também existe a sempre presente pressão do estado Chinês para não usarem encriptação e outras formas de proteger as comunicações. Hoje em dia a maioria dos sistemas de video-vigilâncias só pode estar on-line acessível através de VPN's que fazem a interligação com o exterior a partir do interior da rede, porque se os gravadores estiverem ligados à Internet é praticamente impossível garantir a segurança... a desgraça é que a esmagadora maioria está mesmo ligada directamente à Internet.
    Refiro-me a equipamento desenhado e produzido na China que é a esmagadora maioria. Mas também não tenho muita esperança nos equipamentos Europeus, Russos, Israelitas, Americanos... todos gostam de meter mecanismos de ultrapassar a segurança não vá algum organismo do estado querer bisbilhotar.

    ResponderEliminar

[pub]