2016/04/11

Meizu M3 Note a €195


Depois do Meizu M2, eis que nos chega o Meizu M3, que volta a confirmar o desejo da marca de conquistar o mercado em todos os segmentos de smartphones, com os seus preços concorrenciais.

O Meizu M3 Note é um smartphone com ecrã Full HD de 5.5", CPU Helio P10 MT6755 octa-core, câmaras de 13MP e 5MP, e que nos chega em variantes com 2GB/16GB e 3GB/32GB. A construção é em alumínio, que servirá para dar um aspecto (e toque) premium ao produto, enquanto que no software temos um Android 5.1 a correr o interface Flyme 5.1 da marca. Temos também um botão home com sensor de impressões digitais, e uma generosa bateria de 4100mAh que deverá ser suficiente para uma utilização despreocupado, mesmo para os utilizadores mais intensivos.

Na China estes modelos chegam com um preço imbatível de 799 e 999 yuan (cerca de 108 e 135 euros), mas já se sabe que estes preços de referência são depois inflacionados pelas lojas - e ainda mais em modelos que tenham procura elevada. O que faz com que o Meizu M3 Note de 16GB vá para os 195.99 euros, e o de M3 Note de 32GB para os 221.47 euros.

Já estaria na hora de ver estas marcas chinesas olharem para o mercado Europeu com um pouco mais de interesse, mas por outro lado... quando têm um mercado potencial de 1.35 mil milhões de clientes em casa, que necessidade têm em se preocupar com umas centenas de milhões do outro lado do mundo?

2 comentários:

  1. Android 5.1??
    O Android M já está disponível há imenso tempo. Porque raio não lançam com o novo Android.
    Por muito que fique curioso com os specs destes telemóveis chineses a falta de actualizações de software, além de ser sempre versões estupidamente modificadas do Android deixam-me muito de pé atrás.

    ResponderEliminar
  2. Tenho visto bastantes aparelhos chineses com specs que me piscam o olho, mas há 2 pontos que me preocupam:
    A qualidade do touch que é duvidosa em alguns (se não todos) aparelhos mais baratos.
    E a questão da versão do Android que vem com o equipamento, que como o @Rosmano diz não é a mais recente e normalmente vem com algumas alterações que podem não ser do nosso agrado ([rumor] ulefone paris tinha uma aplicação que se ligava a servidores na china, nunca se percebeu para que)

    ResponderEliminar

[pub]