2016/05/07

HDR mais importante que a resolução nos Blu-ray UHD 4K?


Com a chegada dos Bluray 4K enfrentaremos novamente o habitual processo de transição onde nem sempre se tem aquilo que se desejaria. Mas no caso dos blu-ray Ultra HD, a grande diferença poderá estar na gama de cores HDR e não apenas na resolução acrescida.

Se no caso da transição dos VHS para os DVDs a diferença "saltava à vista", a chegada dos primeiros discos blu-ray (e HD-DVD na altura) foi acompanhada do lançamento de muitos filmes que eram meros DVDs com imagem redimensionada. Nos discos Ultra HD teremos algo idêntico, pois embora muitos filmes sejam já filmados em resoluções 4K e superiores, na pós-produção são muitas vezes processados em resoluções 2K (uma vez que isso fica mais barato e é suficiente para serem convertidos para Blu-ray e para projecção nos cinemas, onde proliferam os projectores digitais 2K).

Felizmente, nem só de resolução vive a qualidade de imagem, e nos discos Blu-ray UHD teremos também direito a gama de cores expandida (HDR) que nesta primeira fase poderá ser o critério mais notório para quem se aventurar no mundo do Ultra HD com um televisor compatível.

Claro que temos o velho problema de aquilo de que se fala não poder ser "visto" ao olhar para o ecrã do computador, pois não tem a capacidade para apresentar a gama de cores de que se está a falar - mas lá chegara o tempo em que também o HDR chegará aos ecrãs dos computadores, smartphones e tablets - nos ecrãs SuperAMOLED é bem possível que já sejam capazes de o fazer.)

Por mim, só fica a faltar o pequeno "detalhe" de que se deveria adoptar um framerate mínimo de 120fps para tudo (e quem quisesse o "look de cinema tradicional", bastava repetir cada frame de 24fps cinco vezes.)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]