2016/08/30

Análise ao WeTek Hub

A WeTek fabrica alguns dos mais populares media players Android, e o nosso Luis Costa já teve oportunidade de testar o seu mais recente modelo: a WeTek Hub.


A WeTek é uma empresa relativamente jovem, mas será facilmente reconhecida por todos os que se interessam por media players. Por certo estarão recordados da WeTek Play, a primeira box Android da marca, e a qual tivemos o privilégio de poder testar. A WeTek lançou posteriormente um outro modelo, a WeTek Hub, com um processador AMLogic S812-H, 2GB de RAM e rede gigabit+WiFi ac, perdendo apenas o sintonizador de TV.


A WeTek Hub


Como já tinha sido anunciado, a primeira geração de box Android já tinha substitutos, e hoje espreitamos a WeTek Hub, o mais recente media player da marca Eslovena que também já está presente no nosso país.



A WeTek volta a apostar numa caixa que vem envolvida numa capa com um resumo das especificações e informação sobre o que podem encontrar no seu interior - pormenor sempre interessante para se saber com o que se pode contar (e que não falta nada, em caso de dúvida).

A utilização de um empacotamento de qualidade, com todos os elementos bem acondicionados é novamente aposta da WeTek.


Num primeiro plano, a pequena box. Por baixo desta, o rol de acessórios que a marca disponibiliza.


O carregador vem preparado para diversos tipos de tomada e apresenta adaptadores com um nível de qualidade muito superior ao que a WeTek Play disponibilizava. Antena para o WiFi, cabo HDMI, cabo para o comando e cabo RS232, completam o ramalhete.


O comando tem um design bastante ergonómico, encaixando perfeitamente na mão, sendo bastante confortável quando em utilização. A totalidade dos botões encontra-se na parte frontal, com o power no topo, seguindo-se o voltar ao ecrã principal(pressão longa mostra as apps em execução), acesso às funcionalidade de rato, cursor com OK no centro, voltar e menu, e por fim as teclas de som.

Já o referi acima, mas tenho de me repetir. A WeTek core é mesmo muito pequena, facilmente a vão colocar em qualquer lugar, para depois não a encontrarem. Com apenas 71mm de lado e 20mm de altura, passa facilmente despercebida. Aliás, só se dá mais por ela se ligarem a antena do WiFi e o cabo com o sensor do comando à distância.

Para uma boa ventilação, a box tem o fundo e uma das laterais com orifícios para a passagem do ar.


Numa das laterais encontramos a ligação para a antena WiFI, cabos UART e IR, microSD e USB. Na outra lateral, alimentação, rede ethernet e porta HDMI. Com a antena instalada, é mais difícil aceder ao slot do cartão microSD. Uma outra localização teria sido mais conveniente para comodidade do utilizador.


A WeTek convida os utilizadores a partilharem a sua satisfação e impressões nos diferentes canais que coloca ao seu dispor. Contudo, se a experiência não for positiva, a marca indica quais os meios que o utilizador tem para resolver os seus problemas.

A título de exemplo, quer na WeTek Play, que agora com a Hub, todas as questões que tive foram rapidamente esclarecidas, sendo este um dos pontos fortes da marca, o apoio ao cliente.


Em funcionamento



O launcher utilizado na WeTek Play já tinha aspectos muito bem conseguidos, mas a marca conseguiu melhorar bastante a experiência de utilização com o comando, mostrando estar bem atenta às necessidades do utilizador.

No parte de cima do ecrã, notificações e horas, por baixo, atalhos para o Kodi, browser, aplicações instaladas, gestor de ficheiros e Play Store. Seguem-se os atalhos para os favoritos, que poderão ser adicionados manualmente pelo utilizador. Os atalhos para o browser e gestor de ficheiros permitem a escolha da aplicação para o efeito a quando da primeira utilização.

A presença o ES Explorer depois de toda a polémica envolvida, não será a melhor das opções.


No fundo do ecrã, atalhos para as principais funções: power, rede, armazenamento, definições gerais, definições do ambiente de trabalho, tempo e widgets. Este último botão possibilita a adição de widgets ao ecrã principal, os quais ficam atribuídos a um ícone de atalho, podendo depois o utilizador aceder ao conteúdo individualmente.


A WeTek realizou um excelente trabalho na remodelação das definições, apresentando uma interface que tem em vista a utilização do comando para controlo da box. Um sistema de ícones dividido por assunto permite o acesso facilitado às definições mais utilizadas.

O comando para navegação no launcher, nestes ecrãs das definições ou no Kodi é perfeito, mas para outro tipo de utilização não é o mais adequado. Navegar por exemplo no Neflix é simples, mas aceder aos episódios já requer muito ginástica. O Google Play é outro exemplo de como a interface do Android ainda tem muito para evoluir em equipamentos sem detecção do toque.


A Web-Interface que a WeTek disponibiliza atalhos para o menu de power e informação sobre os recursos da box. Outra das funcionalidades é o comando remoto que pode servir de auxiliar ao comando IR, mas acaba por também não ser uma solução optimizada.


Outra opção passa pela utilização do smartphone ou tablet como comando, devendo para isso o utilizador instalar a aplicação que a WeTek disponibiliza no Google Play. Com a WeControl podem utilizar um sistema de botões/cursor ou um touchpad para controlo da box. A selecção do método de entrada é feita através dos três ícones na parte superior do ecrã.

O touchpad permite a navegação com um dedo, reconhecimento do toque e execução de scroll com dois dedos, se bem que neste aspecto não consegui muito bons resultados. É uma alternativa para a navegação em aplicações não adaptadas para o comando, mas tem ainda que melhorar a questão do scroll.

Se pretenderem aceder a outro tipo de conteúdos que não vídeo ou imagens, recomenda-se a utilização de um air-mouse.


Em termos de media player, temos o Kodi instalado. Caso assim prefiram, podem utilizar uma versão modificada pela WeTek. De todos os conteúdos testados, não tive qualquer problema na sua visualização. No caso específico de um vídeo FullHD H.265 com bitrate de 16,9Mbps, não detectei qualquer tipo de problema.

A ausência de uma porta SPDIF pode ser um inconveniente para quem tenha TVs mais antigas como é o meu caso. O HDMI não passa DTS para o amplificador, sendo neste caso uma limitação da TV e não da box.

Apreciação final



A WeTek continua claramente a apostar no caminho que definiu para os seus primeiros equipamentos: hardware competente, acompanhado de software que proporcione uma experiência de utilização agradável. Como equipamento multimédia, para visualização de conteúdos até 4K, esta WeTek Hub é uma box altamente recomendada. Para outro tipo de utilização, o hardware já poderá ser limitado, mas deverá cumprir na maioria das vezes, necessitando apenas de um comando ou gamepad para interagir com a box.

As taxas de transferência de dados não são das mais elevadas, mas com um armazenamento interno tão curto, os conteúdos terão obrigatoriamente de estar acessíveis no cartão microSD (difícil de instalar/remover), porta USB ou via rede. O speedtest registou 50Mbps, o máximo que o meu router dá via WiFi. Apesar de apenas correr Android Lollipop, a box não é penalizada devido ao tipo de utilização a que se destina. Caso se tratasse de um smartphone ou tablet, a avaliação já seria outra. O mesmo se passa com a memória RAM, com 1GB a ser muito curto para uma utilização mais abrangente, mas suficiente para consumo de vídeo e imagens

A WeTek HUB está disponível por 89.90€, valor superior ao que é normal encontrar no contingente chinês com o mesmo hardware, o qual se consegue adquirir por valores entre os 25 e 50€. Há contudo de contar com a questão da garantia, suporte técnico e actualizações, aspectos que uma box vinda da China não contempla.



WeTek Hub
Quente

Prós
  • Interface
  • Suporte técnico
  • Facilidade de utilização como equipamento multimédia


Contras
  • Não tem porta SPDIF
  • Armazenamento interno insuficiente

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]