2016/09/13

Netflix quer o fim dos limites de tráfego nas ligações fixas


As limites nas ligações à internet são um travão à inovação, e por isso mesmo a Netflix quer que a FCC intervenha para garantir que esses limites sejam levantados ou aumentados substancialmente.

Embora a quase totalidade dos operadores anuncie que está a fornecer "internet ilimitada", a maioria deles continua a aplicar limites "de utilização razoável" que ficam escondidos algures nas letras pequenas dos contractos. Só que essa utilização razoável pode já não ser adequada aos tempos que correm, pois aquilo que parecia mais que suficiente há quatro ou cinco anos atrás pode já não o ser.

A Netflix refere que hoje em dia, 300GB de dados mensais serão apenas suficientes para fornecer um serviço de streaming equivalente ao volume de televisão que um lar gasta em média; e isto sem contar com qualquer outro uso da internet como navegar na internet ou descarregar jogos, ouvir música, etc. De facto, a questão dos jogos é especialmente pertinente, pois são cada vez mais numerosos os jogos que são comprados por via digital, nos PCs e consolas, e que facilmente podem representar 40 ou 50GB - tendo em conta que muitas vezes se pode ter vontade de revisitar jogos que já se tenham desinstalado, só esta componente dos jogos pode facilmente representar mais umas centenas de gigabytes a cada mês - e deitando por terra qualquer pretensão de que "só quem faz downloads ilegais é que gasta gigabytes por mês".

Para além disto, são também cada vez mais frequentes os casos de pessoas a utilizar serviços de backup na cloud, e que dependendo do volume de novos conteúdos gerados por mês (entre fotos e vídeos Ultra HD, não se admirem por somar mais umas dezenas, ou centenas, de gigabytes que terão que transferir).

Em suma, a existirem limites de utilização razoável, esse limite terá que começar a contemplar a passagem para o campo dos terabytes em vez de se ficar pelas centenas de gigabytes - uma necessidade que se torna ainda mais lógica quando temos os operadores a promover velocidades de 100 e 200Mbps, que permitem que estas centenas de gigabytes possam ser atingidas numa questão de horas.

Mas antes disso, seria simpático ver os operadores a anunciarem publicamente e sem rodeios, os verdadeiros limites que aplicam nas suas ligações... em vez de - como em casos que testemunhei pessoalmente - "fecharem a torneira" e insinuarem que deveria ser algum problema com a ligação (ao ponto de até agendarem a ida de técnicos para ver se estava tudo bem)... e repetindo-se a novela por vários meses consecutivos.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]