2016/10/04

Google revela Home, WiFi, Chromecast Ultra e Daydream View "Made by Google"


Para além dos smartphones Pixel a Google apresentou mais dispositivos no evento de hoje, mesmo se alguns deles continuaram a estar ausentes do palco e a ter direito a apenas uma apresentação virtual, como o Google Home.

A família Made by Google engloba uma série de produtos (tablets é que ainda não). Um deles é o Google WiFi, que têm por missão acabar com os problemas de cobertura WiFi em nossas casas.




A ideia é simplesmente espalharmos alguns Google WiFi pela casa, e de forma automática termos uma cobertura WiFi de luxo, com toda a gestão a ser feita de forma automática, mas permitindo que os utilizadores também possam definir algumas regras de acesso.


Já o Google Home - que tinha apresentado no Google I/O - volta a surgir, mas aparentemente ainda não está apto a demonstrar ao vivo tudo aquilo que a Google diz que será capaz de fazer


Depois do desaparecido Android @ Home prometido em 2011(!), é uma daquelas coisas que vou aguardar para ver se se torna realidade... ou se também desaparecerá sem deixar rasto. O que não é provável, pois desta vez não se pode dar ao luxo de ignorar o Echo da Amazon; nem o avanço que a Apple também está a fazer com a Siri e HomeKit nesta área.



A família Chromecast também tem novidades. O novo Chromecast Ultra, com suporte para resoluções Ultra HD 4K e HDR, sendo também mais rápido e - finalmente - também podendo ter ligação Ethernet para quem não quiser ficar dependente de uma rede WiFi que esteja a interromper filmes em 4K de forma intermitente.



E por fim o Daydream VR View. Os primeiros óculos do programa Daydream VR da Google, e que apostam numa construção ultra-leve e confortável (em tecido), e que se distinguem dos demais com pormenores como calibração automática, ou até o pormenor do pequeno controlador wireless ficar guardado dentro dos próprios óculos quando não está a ser utilizado.

O preço de $69 não me parece excessivo, mas claro que para tirar partido de todas as suas capacidades será necessário ter um smartphone compatível Daydream (como os Pixel)... que custarão bem mais que isso.


Enfim, muitas e boas novidades... mas faltará ver se o público ficou tão entusiasmado com isto (leia-se: se vai "investir") como a Google parece achar que ficaria. É algo que se irá descobrir ao longo das próximas semanas; e que tanto pode confirmar, ou superar, as elevadas expectativas da Google... como também se poderá revelar como um balde de água fria. Neste momento, acho que as coisas estão 50-50% para cada lado...


Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]