2016/10/04

Google revela os Pixel Phone by Google


A Google já revelou os seus novos smartphones Pixel, marcando o início de uma nova era em que pretende seguir um caminho idêntico ao da Apple, com maior controlo sobre o hardware e uma aposta nos serviços diferenciadores - com a inteligência artificial a ser uma das vertentes mais destacadas (mas que até que fique disponível em Português, será sempre de utilidade relativa para nós).

Tal como a MS sentiu necessidade de lançar os seus Surface para servir de referência para a ideia que tinha para os tablets/portáteis do futuro; também a Google parece ter ficado farta de estar limitada pelo que os fabricantes iam fazendo, e "bate o pé" assumindo a responsabilidade de criar os seus próprios smartphones onde poderá fazer tudo o que deseja sem qualquer restrição, e onde estreia o seu Google Assistant.

Actualização: também já temos o Google Home, WiFi, Chromecast Ultra e Daydream VR View.



Este primeiros Pixel Phone ainda recorrem a muita tecnologia genérica, mas é de prever que no futuro se comece a aproximar daquilo que vemos na Apple, com o desenvolvimento de hardware cada vez mais específico em função dos seus objectivos. Ainda assim, a Google apresenta-nos já vários melhoramentos que não seriam possíveis num Android convencional, como a utilização de uma câmara estabilizada que utiliza o giroscópio 200x por segundo (a frequência de leitura reduzida noutros Androids foi o que já limitou algumas apps de estabilização de imagem a ficarem disponíveis apenas para iOS.)

Aliás, a Google vai mais longe e anuncia a câmara dos Pixel como sendo a melhor câmara do mercado num smartphone - e certamente será posta à prova assim que começar a chegar às lojas (e esperemos bem que o seja, continuando os grandes avanços já feitos nos Nexus 5X e 6P).


No hardware não há surpresas: ecrãs AMOLED de 5" (Full HD) e 5.5" (QHD), CPUs Snapdragon 821, 4GB de RAM, 32GB ou 128GB de capacidade, câmara de 12.3MP f/2.0, USB Type-C, Bluetooth 4.2, baterias de 2770mAh e 3450mAh, ficha para headphone, e sensor de impressões digitais na traseira (que pode ser usado como trackpad).



Para as cores a Google não deixa de mandar uma indirecta (bem directa) aos fabricantes que nos apresentam cores como "azul cósmico" ou "amarelo ionizado com cheiro a fruta". Aqui temos apenas o "quite black", "really blue" e "very silver".


O preço também é, infelizmente, o que se suspeitava: começa nos $649... pelo que vai ser interessante ver a reacção do mercado a este lançamento (ou se daqui por 3 meses começam os descontos, por ninguém pegar neles.)



Actualização: também já temos o Google Home, WiFi, Chromecast Ultra e Daydream VR View.


15 comentários:

  1. Aquando do Nexus 6 estava a espera de continuar a comprar Nexus... Visto o preço comprei oneplusone, hoje fiquei a saber que o opo continua a servir....

    ResponderEliminar
  2. Aquando do Nexus 6 estava a espera de continuar a comprar Nexus... Visto o preço comprei oneplusone, hoje fiquei a saber que o opo continua a servir....

    ResponderEliminar
  3. Este preço é um absurdo para um smartphone

    ResponderEliminar
  4. Se a opinião for partilhada em relação a todas as marcas, então sim podem dizer que é um absurdo. Agora como já vi alguns a reclamar do preço dos nexus com galaxys na mão... Isso já tem outro nome.

    O problema e grande erro da Google e só se podem culpar a eles é que no início da linha nexus habituou mal os seus clientes telemóveis de topo a preços baixos... Ora se habituas assim as pessoas é bom que te mantenhas senão corres o risco de desiludir e perder clientes que é o que me parece estar a acontecer e não vão ser estes pixeis a mudar isso. Como ex cliente nexus espero e esperarei muitos anos por telemóveis de topo ao preço da China e ainda por cima telemóveis desses não faltam pelo que não me parece que vá mudar de mentalidade tão cedo. Assim não Google, assim não... Assim Mars aqui vou eu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sem dúvida... a vantagem que a Google podia ter, para vender um produto a este preço, era ter oferecido algo muito melhor que tudo o que existe; e por muito bom e qualidade que este Pixel seja... começa logo por perder no design. Aquela frente com margens tão grandes no ecrã... faz com que pareça qualquer outro smartphone low cost - aliás, há smartphones low cost com margens mais reduzidas e melhor aspecto (visualmente; já que em qualidade de construção não duvido que este Pixel seja muito superior.)

      Eliminar
    2. Aquelas margens foram precisamente a 1a coisa que reparei e que me fez logo perder a vontade de ver as restantes specs.

      Eliminar
  5. O NOME é muito original. As vezes ponho-me a pensar... Um bom nome para dar a um smartphone. Pixel, nunca me ocorria um nome tão bom.

    ResponderEliminar
  6. Quando o Nexus 5 era barato a malta gostou... Mas também foi criticado por ter uma câmara média e bateria quase abaixo da média.

    Agora que começam com tecnologia de ponta isso vai se traduzir no preço final.

    Não estou contente com estes preços... Mas não me venham dizer que é igual a um xiaomi ou a esse tal Mars etc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimenta um Xiaomi MI5 antes de falar..

      Eliminar
  7. 649$ parece-me ser uma aventura muito grande para a Google , ...... um Asus Zenfone 3 custa metade do preço , esperemos para ver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não esquecer que este preço anunciado é para os EUA. O ano passado o preço do 6p era de 500 dólares e chegou aqui a Portugal a 650 euros.

      Eliminar
    2. Não esquecer que este preço anunciado é para os EUA. O ano passado o preço do 6p era de 500 dólares e chegou aqui a Portugal a 650 euros.

      Eliminar
    3. Segundo a Google Alemanha: Google Pixel 32GB: € 759 Google 128 GB Pixel: 869 € Google Pixel XL 32GB: 899 € Google Pixel XL 128 GB : 1009 EUR Google DayDream VR: 69 EUR

      Eliminar
  8. O preço só será compreensível se a Google apostar na publicidade tal como a Samsung /Apple, tudo isso custa muito dinheiro. Agora incompreensível é deixarem para trás os Nexus do ano passado à espera do Android 7.1, conseguiram alienar a base que tinham, enfim.

    ResponderEliminar

[pub]