2016/10/16

Mercedes autónomos darão prioridade ao condutor e ocupantes em caso de acidente


A questão do comportamento dos automóveis autónomos no caso em que tiverem que decidir entre matar um peão ou o condutor tem gerado discussões bastante interessantes, mas a Mercedes parece não ter qualquer dúvida e afirma desde já que a sua prioridade será fazer todos os possíveis para salvar o condutor.

Cenários hipotéticos extremos são sempre fáceis de imaginar e podem levantar polémica. O que deverá um automóvel autónomo fazer se tiver que decidir entre chocar contra uma parede de betão a alta velocidade e potencialmente matar todos os ocupantes; ou seguir por uma escapatória que garante a sobrevivência dos mesmos... mas tendo que atropelar uma dezena de crianças que estavam no caminho?

Poderá parecer cruel ouvir a Mercedes dizer que a sua preocupação e prioridade é dada ao condutor e ocupantes dos seus veículos; mas é preciso não deixar de contextualizar a coisa. Os automóveis autónomos terão, à partida, uma taxa de acidentes muitíssimo inferior à dos veículos conduzidos por humanos. E mesmo não sendo possível garantir a 100% que nunca mais haverá acidentes (pela própria definição de "acidente") este tipo de situações extremas será ainda mais rara, pois estes veículos mantêm uma vigilância permanente de tudo o que se passa em seu redor, sem distracções ou cansaço, e farão todos os possíveis por evitar que se chegue a esse ponto em que tal decisão tivesse que ser feita.

Portanto, não se preocupem demasiado com quem é que um automóvel terá que decidir matar/salvar... mas sim com a questão de não ser necessário chegar a esse ponto. E, só por segurança... não se atirarem para a frente de um Mercedes autónomo! :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]