2016/11/25

Promoções Black Friday - cuidado com os descontos pré-inflacionados


A Black Friday está aí, e com ela mais uma ronda de loucura de consumismo desenfreado que tenta ser aproveitado ao máximo tanto pelos consumidores como pelos vendedores. E importa estar alerta, pois nem sempre a época de promoções significa que se esteja a fazer o melhor negócio.

Sem dúvida que nesta época se podem encontrar excelentes negócios que, caso coincidam com algo que se deseje comprar, serão de aproveitar. Mas, há também que estar atento, pois esta é um dos momentos em que muitas lojas recorrem às tácticas já conhecidas de manipulação de preços, para apresentar descontos que embora sejam tecnicamente correctos, visam apenas enganar os consumidores mais desatentos.

Quem estiver a acompanhar o preço de algum produto que lhe interesse, poderá ter reparado que o mesmo sofreu um significativo aumento de preço nos dias anteriores, para agora surgir com um "mega desconto" que invariavelmente o deixa mais caro do que estava antes. Tudo isto porque para muitas pessoas, a visão de algo como "40% de desconto!" combinado com o frenesim da Black Friday, os fará pensar automaticamente que estão perante uma oportunidade imperdível. E não faltam casos práticos, como televisores que custavam 1500 euros no início da semana, que passaram para 2500 euros ontem, para hoje surgirem com preço promocional Black Friday de "apenas" 1750 euros.

É um mal que infelizmente é comum à maioria das lojas, tanto nacionais como estrangeiras, e para a qual existe apenas um remédio que poucas ousam implementar: a apresentação do histórico de alteração dos preços. Sendo que será essa a única forma de mostrar respeito pelos consumidores e evitar este tipo de manipulações que tira partido das regras comerciais para se manter dentro da lei... mas sendo moralmente condenável e roçando a "fraude".



Pelo lado dos consumidores, há que estar informado, e saber tirar partido das ferramentas disponíveis. Hoje em dia temos comparadores de preço a um clique de distância, e até serviços que nos permitem seguir os preços de praticamente qualquer produto que se deseje, em qualquer loja, e assim desmascarar qualquer tentativa de manipulação nos supostos preços com desconto.

... Talvez da próxima vez que se estiverem a actualizar as regras comerciais, para além da exigência de mostrar unicamente o "preço anterior" ao desconto, talvez se pudesse mudar isso para "apresentar o histórico dos preços nos últimos 3 meses"! E não deixar de fora a eventual tentativa de contornar a lei apresentando produtos antigos com novas designações ou referências, para os apresentar sem histórico.

Até lá, não deixem de dar prioridade às lojas que têm a decência de apresentar o histórico dos preços dos seus produtos, e de usar as ferramentas de comparação de preços para, pelo menos, garantirem que o preço promocional que estão a ver, é realmente o melhor do momento.

1 comentário:

  1. A Deco também lancóu uma ferramenta para este propósito. https://www.deco.proteste.pt/blackfriday

    ResponderEliminar

[pub]